Coimbra recebe mostra de filmes amadores oriundos de arquivos familiares

| Cultura

Coimbra vai receber uma extensão da Traça - Mostra de Filmes de Arquivos Familiares, entre o dia 24 de maio e 07 de junho, dando a conhecer filmes amadores e caseiros, feitos em contexto familiar, e depositados na Videoteca de Lisboa.

A extensão da mostra em Coimbra, realizada numa parceria entre o Centro de Estudos Cinematográficos da Associação Académica de Coimbra (CEC/AAC) e o Arquivo Municipal de Lisboa, vai contar com sessões a 24 e 31 de maio e 07 de junho, no mini-auditório Salgado Zenha.

"São filmes misteriosos, muitos deles de origem incerta, muito puros e diretos, que permitem acompanhar, através de histórias íntimas", a história de Lisboa "ou do país", sublinha a nota de imprensa do CEC/AAC enviada à agência Lusa.

A mostra convida criadores a trabalhar e produzir novas obras, a partir dos filmes presentes no Arquivo Municipal de Lisboa.

Em Coimbra, será exibido um filme de Catarina Alves Costa, em torno de registos familiares, com "inesperados espaços em branco" e "acasos".

Edgar Pêra utiliza filmes em ambientes como a praia, parques de campismo ou o Natal, com imagens da Revolução dos Cravos, e Margarida Cardoso mescla a leitura de textos do Diário de Lisboa com excertos de uma película de Wim Wenders e registos no Zoo.

A iniciativa conta ainda com a exibição de películas de Susana Nobre, de Margarida Leitão, de Jorge Cramez e Diogo Allen, e ainda um filme, intitulado "Save Project", de José Filipe Costa, com a participação de Paulo Diogo e Pedro Lacerda.

Num conjunto de várias exibições temáticas, pretende-se "exibir e discutir, de que forma a partilha e a recriação de memórias tão pessoais quanto as memórias familiares são possíveis de partilhar através da sétima arte", lê-se na nota do CEC/AAC.

A mostra é de entrada livre.

Tópicos:

Arquivos, Catarina Alves, Cramez, Revolução,

A informação mais vista

+ Em Foco

Veja ou reveja a primeira entrevista de Rui Rio depois de ter sido eleito presidente do PSD.

Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

    Em entrevista ao programa Visão Global da Antena 1, o ministro dos Negócios Estrangeiros reforça o apoio ao diálogo político na Venezuela e falou sobre as relações entre Portugal e Angola.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.