Fadista Helder Moutinho realiza digressão por quatro palcos espanhóis

| Cultura

O fadista Helder Moutinho realiza, em setembro, a digressão "Um fado na Mouraria", por quatro palcos espanhóis, como o da sala Galileo Galilei, em Madrid, para apresentar o seu mais recente álbum, "1987".

A digressão do criador de "Maria da Mouraria" começa no dia 23 de setembro, em Madrid, na sala Galileo Galilei, por onde já passaram vários fadistas portugueses como Mísia, e onde o editor discográfico Manuel Simões apresentou "Fado em Alcochete", em 1996.

Em declarações à Lusa, o fadista afirmou que vai "voltar a fazer o alinhamento do espetáculo do [Teatro] São Luiz [em Lisboa], em 2013".

Sobre este espetáculo, Helder Moutinho explicou que irá cruzar as quatro histórias do disco "1987".

"O disco está estruturado em quatro histórias de quatro autores - um deles sou eu, e os outros, meus contemporâneos, são o José Fialho, o Pedro Campos e o João Monge -, mas, ao contrário do CD, em que as letras são sequenciais, no palco irei cruzá-las", disse o criador de "Já não te espero".

"As letras do João Monge serão cantadas no meio dos músicos, enquanto [durante] as do José Fialho, estarei sentado numa cadeira no canto do palco. As minhas, cantá-las-ei à frente dos músicos e, com as do Pedro Campos, caminharei pelo palco", explicou Helder Moutinho, referindo que irá alternar cada um dos autores, criando uma "dinâmica no espetáculo".

Sobre o álbum, editado em janeiro de 2013, Helder Moutinho afirmou tem sido "uma experiência muito boa"

"Foi uma viragem muito importante para a minha vida e para a minha carreira", rematou.

Depois da sala Galileo, em Madrid, Helder Moutinho vai atuar, no dia seguinte, dia 24 de setembro, no Gran Teatro de Cáceres, na região autónoma da Extremadura e, no dia 25, na sala Club do Centro Niemeyer em Avilés, na região autónoma das Astúrias.

O fadista encerra a digressão, no dia 27 de setembro, no Teatro Rosalía de Castro, na Corunha, na Galiza, noroeste de Espanha.

O criador de "Que fado é este que trago" é acompanhado pelos músicos Ricardo Parreira, na guitarra portuguesa, Marco Oliveira, na viola, e Ciro Bertini, na viola baixo.

O fadista afirmou-se confiante nesta digressão por Espanha onde é "bastante bem recebido". "Em Espanha gostam muito de fado e sabem alguma coisa de fado, por isso as espectativas são boas", disse.

Helder Moutinho, que recebeu um Prémio Amália pelo álbum "Luz de Lisboa", além de intérprete é também poeta, e já atuou em váriso palcos internacionais, destacando-se, entre eles, o Lincoln Center, em Nova Iorque, o Concertgebouw, em Amesterdão, o Palais des Beaux-Arts, em Bruxelas, e a participação nos festivais de Músicas do Mundo de Rudolstadt, na Alemanha, e de Ulsan, na Coreia do Sul, e no de World Music, em Chicago, nos Estados Unidos.

Tópicos:

Alcochete, Corunha, Extremadura, Galileo Galilei, Helder Minho, Iorque Concertgebouw Amesterdão Palais Beaux Arts, Luiz [em Lisboa], Monge, Niemeyer, Rudolstadt, Simões, Ulsan, World Music,

A informação mais vista

+ Em Foco

Francisco Veloso, reitor da Imperial College Business School, traça cenários após a rejeição do acordo.

O satélite natural da Terra mostrou-se grande e vermelho. A primeira Super Lua de 2019 foi vista em todo o mundo.

Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

    Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.