"Transparente" de Mariza lançado nos Estados Unidos e Canadá

| Cultura

|

O álbum "Transparente" de Mariza é editado nos Estados Unidos e Canadá no próximo dia 09, antecedendo a sua digressão naqueles dois países em Setembro e Outubro, anunciou hoje a sua produtora.

"Transparente", produzido pelo brasileiro Jacques Morenlembaum, encontra-se no sexto lugar do top europeu de World Music.

Acompanhada à guitarra portuguesa por Luís Guerreiro, à guitarra clássica por António Neto, no baixo Vasco de Sousa e ainda João Pedro Ruela (percussão), Mariza actua quarta-feira no Centro de Artes e Espectáculos da Figueira da Foz.

O "álbum é um encontro maior comigo própria, na medida em que me sinto mais reflectida nele, quer pelas palavras que canto, quer pela sonoridade alcançada", afirmou Mariza à agência Lusa.

Quanto à sonoridade, "não é alheio o trabalho de produção de Jacques Morenlembau", salientou.

"O que o Jacques fez foi harmonizar as melodias de modo a que, por exemplo, os finais fossem isso mesmo, sem irem numa direcção oposta à da voz, que surge envolvida numa sonoridade mais sensual", explicou à Lusa.

O novo trabalho é uma abordagem diferente ao fado, "mais reflectida e pensada, logo permitindo alguma ousadia, fruto também da segurança que sinto e do conforto que foi gravar com o Jacques".

Em "Transparente", Mariza interpreta composições originais ao lado de fados tradicionais como o Fado Menor ("Malmequer" de Aldina Duarte), o Franklin de sextilhas ("Toada do desengano" de Vasco da Graça Moura) ou o Fado Magala ("Recusa" de Mário Raínho).

A informação mais vista

+ Em Foco

Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      A menos de 100 quilómetros da fronteira com a Síria, a cidade turca de Gaziantep é uma terra de tradições e sabores.

      Fotografias da autoria do artista berlinense Martin Dammann lançam luz sobre o lado mais obscuro da Wehrmacht.