Cinquenta toneladas de enchidos na festa do concelho de Vinhais

| Economia

A vila de Vinhais, no Nordeste Transmontano, vive este fim-de-semana a maior festa do concelho em torno da feira dos tradicionais enchidos que promete escoar cerca de 50 toneladas de fumeiro até domingo.

Presunto, alheira, linguiças ou presunto são os atrativos durante quatro dias em que o número de visitantes é sete vezes superior aos dez mil habitantes movidos pelo fumeiro que representa um negócio anual de seis milhões de euros e 300 postos de trabalho, de acordo com a responsável pelo certame, Carla Alves.

O certame tem pela primeira vez uma exposição de homenagem ao porco bísaro, a raça autóctone protegida responsável pela carne que distingue este fumeiro transmontano também ele com Indicação Geográfica Protegida.

"Quem vem aqui vem para comprar, espera por esta feira para comprar os enchidos porque reconhece que aquilo que leva daqui é produto genuíno e ainda muito artesanal", indicou a coordenadora da feira em que os produtos são tabelados e o salpicão lidera os preços a 40 euros o quilo.

Todos os produtos são sujeitos a "um controlo de qualidade rigoroso" e à tradição tem sido associada alguma inovação, como os corações das caixas alusivas ao Dia dos Namorados.

A organização está também apostada em atrair um público mais jovem, nomeadamente com o cartaz de espetáculos associado à feira, que reserva para o fim de semana a artista Áurea.

São também os jovens do concelho que se têm encarregado da promoção com vídeos que especialmente nesta edição estão a dar que falar na Internet.

O certame mais antigo de Trás-os-Montes repete-se há 34 anos e em cada edição no último dia os produtores vão para casa com os cestos vazios.

Há gente da Galiza, em Espanha, que se desloca a Vinhais para comprar nesta feira e os filhos da terra que emigraram ou se encontram noutras zonas do país visitam a família por esta altura.

"Por isso é a grande festa do concelho de Vinhais", reiterou a responsável.

Para os produtores é a grande oportunidade de negócio e nem precisam de procurar ou abordar os clientes.

Lucinda Pires mata "nove ou dez porcos" para fazer fumeiro e outros produtos e vende tudo.

"Temos vendido sempre bem, temos muitos clientes, muitos de fora, de Lisboa do Porto de todo lado", afirmou à Lusa, garantindo que tem clientes que "há sete ou oito anos" que lhe compram e vão a Vinhais de propósito.

Também Natália da Conceição já tem encomendas para este fim de semana.

Esta reformada de 71 anos faz fumeiro "desde pequenina e tem nesta atividade um complemento para toda a família e para ajudar os filhos.

Tópicos:

Lucinda Pires, Natália, Trás, Vinhais,

A informação mais vista

+ Em Foco

A União Europeia está ameaçada e tem de voltar à sua génese para se fortalecer e recuperar influência na cena mundial. Ou arrisca-se a perder o comboio do desenvolvimento e a desmembrar-se em pouco tempo.

    Num contexto de retorno do medo ao Reino Unido, a diplomata britânica Kirsty Hayes aponta a importância de todos os habitantes de Londres estarem unidos.

    Foram mais de três horas de debate a cinco mas sem grandes novidades. Le Pen defendeu o fim da imigração. Macron foi atacado pelas ligações à banca.

    Estarão os nossos equipamentos comprometidos? O especialista em cibersegurança Pedro Queirós alerta para um problema "assustador".