Brexit. "Estas eleições são o tudo ou nada"

por RTP

Filipe Vasconcelos Romão, comentador RTP para assuntos internacionais, sublinha que nestas eleições do Reino Unido será muito provável uma maioria absoluta de Boris Johnson, que implicará "o início do fim da saga do Brexit".

O Partido Conservador sob a liderança de Boris Johnson tem apoiado a saída rápida do Reino Unido da União Europeia.

Com uma maioria nesta eleição, o grupo parlamentar dos tories deverá ser "muito mais coeso que o anterior" para aprovar os planos do primeiro-ministro.

No entanto, a maioria absoluta poderá não ser alcançada, e nesse caso a situação complica-se, refere Filipe Vasconcelos Romão.

Isto porque Boris Johnson afastou possíveis aliados nas recentes negociações com a União Europeia. Se Theresa May contou com o DUP (Irlanda do Norte) para conseguir uma maioria, Boris Johnson já não terá os unionistas à disposição.

A revisão do acordo prevê a possibilidade de uma fronteira no mar da Irlanda, com uma alfândega para os produtos transacionados no Mar da Irlanda. Este aspeto é "uma linha vermelha" para que o DUP apoie o acordo.

"Não havendo uma maioria, Boris Johnson terá sérios problemas para fazer passar o acordo. (...) Estas eleições são o tudo ou nada sobre a capacidade do Partido Conservador para implementar o projeto do seu líder e mentor de todo o processo", sublinha Filipe
Vasconcelos Romão.

Do lado da oposição, Jeremy Corbyn não deverá vencer, mas caso obtenha um resultado que seja menos mau que o esperado, é possível que procure manter-se à frente do Partido Trabalhista.

No entanto, se houver uma maioria absoluta, isso poderá acabar por ditar a saída do líder da oposição, considera.
pub