Boaventura Sousa Santos: Manifestação no Brasil é "tentativa de golpe parlamentar"

| Mundo

|

O sociólogo Boaventura Sousa Santos considerou hoje que as manifestações de domingo, que juntaram centenas de milhar pessoas contra o governo de Dilma Roussef, constitui "uma destabilização perigosa e configura um golpe parlamentar".

"O que estamos a assistir no Brasil é uma destabilização perigosa que não está a acontecer apenas no Brasil, mas que tem no Brasil uma violência muito especial e que no meu entender neste momento configura um golpe parlamentar", adiantou o sociólogo à agência Lusa, salientando que a intenção é provocar a saída de Dilma Roussef do governo.

No entender de Boaventura Sousa Santos, e de acordo com a constituição brasileira, Dilma Roussef só pode ser impedida de governar "se cometer um ato criminoso durante o seu mandato e, até agora isso não aconteceu".

De acordo com o responsável, na origem dos protestos está a "inconformidade das forças da oposição por terem perdido as eleições, facto que não aceitaram democraticamente".

"50 anos depois do golpe militar de 1964 em que houve uma forte intervenção estrangeira na destabilização do Brasil, eu suspeito que neste momento voltamos (...) a ter a ajuda de uma intervenção estrangeira, que está também presente na Argentina e Venezuela, refiro-me à interferência dos Estados Unidos", disse.

Na opinião de Boaventura Sousa Santos, os Estado Unidos "têm mostrado interesse em que a presidente Dilma deixe de estar à frente do Governo por razões que não têm nada a ver com a questão das politicas públicas, mas com as grandes reservas de petróleo do mar profundo não terem sido privatizadas".

Tópicos:

Dilma Roussef,

A informação mais vista

+ Em Foco

Uma parte central da Ponte Morandi, em Génova, Itália, desabou na manhã de terça-feira durante uma tempestade. Morreram dezenas de pessoas.

    É um desejo antigo do Homem poder tocar as estrelas. Um feito que parece ser agora "quase" alcançável através da missão espacial solar Parker.

      Entre as 21h00 de domingo e as 8h00 de segunda-feira, o mundo viu uma chuva de Perseidas, espetáculo habitual em agosto. Nos locais mais remotos, foi possível admirar melhor o fenómeno.

        Uma semana depois de as chamas deflagrarem em Monchique, a Proteção Civil deu o incêndio como dominado e em fase de resolução. Portugal volta a ser o país com mais área ardida na Europa.