Carlos Silva da UGT acusa a CGTP de querer esvaziar o papel concertação social

por João Vasco

Foto: Lusa

Líder da UGT quer que o Salário Mínimo, Contratação colectiva ou a criação de emprego continuem a ser definidas em concertação social e critica a posição que a CGTP está a tomar.

Carlos Silva da UGT, aponta o dedo a secretário geral da CGTP : “Quem sou eu para colocar em causa o papel da Assembleia da República, nem quero. Mas sociedade civil está representada no Conselho Económico e Social e não podemos esvaziar a intervenção no país da Concertação Social.”

O líder da UGT acusa Arménio Carlos de tentar ir por uma caminho mais curto ara atingir alguns objectivos.

Carlos Silva diz que tem entretanto falado como vários membros do actual governo e não acredita num esvaziamento da Concertação Social.