Lisboa e Porto já vestem as cores de França para homenagear Paris

| País

|

A Torre de Belém veste esta noite as cores da bandeira francesa. A autarquia lisboeta juntou-se a muitas outras do mundo e presta homenagem às vítimas dos atentados que assolaram esta sexta-feira a capital francesa.

Trata-se de um ato simbólico e de homenagem para com as vítimas dos atentados, adianta a autarquia, em comunicado, que convida todos os lisboetas a associarem-se à iniciativa, que visa também repudiar todas as formas de terrorismos.

No Porto, o Teatro Rivoli está também iluminado com as cores da bandeira francesa - azul, branco e vermelho, numa iniciativa da autarquia portuense.

Em Lisboa, também a Assembleia da República ostenta uma bandeira francesa.


Fotografia: José Sena Goulão - Lusa

Nos Estados Unidos, e também na sequência dos atentados terroristas de sexta-feira em Paris, o One World Trade Center, a torre construída em Manhattan, depois dos ataques do 11 de setembro, o edifício da Câmara de São Francisco e o Omni Hotel em Dallas, são alguns dos edifícios, nos Estados Unidos, que foram iluminados com as cores da bandeira francesa.

A torre de Toronto, no Canadá, e o Estádio de Wembley, em Londres, Reino Unido, também se iluminaram, em homenagem a França.

O Empire State Building, em Nova Iorque, por sua vez, está de luzes apagadas, desde as 22:00 locais de sexta-feira, pelas vítimas dos atentados na capital francesa.

(com Lusa)

A informação mais vista

+ Em Foco

A primeira-ministro britânica descarta um segundo referendo, por considerar que não vai solucionar a encruzilhada que o Reino Unido enfrenta.

Xi Jinping passou dois dias em Lisboa, na primeira visita de Estado a Portugal desde que é Presidente da República Popular da China. Foram assinados vários acordos bilaterais.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      O processo de degelo na Gronelândia acelerou substancialmente nas últimas décadas. Os investigadores alertam para o perigo da subida do nível da água do mar.