Revisor do comboio grafitado na Maia recebe apoio psicológico

| País
Revisor do comboio grafitado na Maia recebe apoio psicológico

A ver: Revisor do comboio grafitado na Maia recebe apoio psicológico

O revisor do comboio grafitado em Águas Santas, na Maia, está receber apoio psicológico. O homem, com 20 anos de serviço, já foi ouvido pela PSP e não está sequer a trabalhar.

A polícia já interrogou também a testemunha que relatou à RTP a forma como tudo aconteceu e o uso de um extintor para afastar os jovens que acabaram por morrer.

Os colegas e amigos saem em defesa do revisor.

Garantem que pensou que era uma assalto e que só quis proteger os passageiros.

A informação mais vista

+ Em Foco

Houve aldeias ceifadas e vidas destruídas. O medo viveu ao lado de histórias de heroísmo. Contamos as estórias que agora preenchem dezenas de aldeias esquecidas, muitas pintadas a cinza.

    Jorge Paiva, botânico e professor, um dos maiores peritos da floresta, critica em entrevista à Antena 1 o desinteresse generalizado dos políticos pelos problemas da floresta.

    É uma tragédia sem precedentes que vai marcar para sempre o país. O incêndio de Pedrógão Grande fez 64 mortos mais de duas centenas de feridos. Há dezenas de deslocados.

    Nodeirinho é a aldeia mártir do incêndio de Pedrógão Grande. É uma aldeia em ruínas, repleta de casas queimadas e telhados no chão. Um cenário de desolação e dor.