Ouvir
Jazz a 2
Em Direto
Jazz a 2 João Moreira dos Santos / Maria Alexandra Corvela / Luís Caetano / Produção: Cristina do Carmo

Argumentos de Óperas, Obra


Os Pescadores de Pérolas

Ópera em três atos

LibretoEugène Cormon e Michel Carré

EstreiaParis, 1863

ResumoComposta a grande velocidade, quando Bizet tinha apenas vinte e quatro anos, esta ópera não teve grande sucesso no momento da sua estreia. A recuperação desta partitura faz-se só após a morte do compositor, sendo um dos principais entusiastas desta música Hector Berlioz que achava que os Pescadores de Pérolas continham um número considerável de quadros bonitos e expressivos, cheios de fogo e ricos em cor.
Numa praia no Ceilão, os pescadores de pérolas elegem Zurga como rei. O seu amigo Nadir regressa das suas deambulações e os dois jovens recordam como um dia viram uma bonita rapariga num templo hindu, tendo-se ambos apaixonado por ela. Apesar de tudo a amizade entre os dois prevaleceu e comprometeram-se a não procurar a rapariga.
Surge uma mulher velada, acompanhada por Nourabad, o sumo sacerdote de Brahma. Ela foi escolhida para proteger e para rezar pelos pescadores de pérolas enquanto estes mergulham para ganhar a vida numa ocupação arriscada. Nadir reconhece a mulher como a rapariga bonita do templo. O seu nome é Leila e fez voto de castidade. Ainda assim Leila e Nadir apaixonam-se profundamente.
Nourabad apercebe-se da situação e denuncia os amantes ao povo. Zurga intervém, mas quando reconhece Leila e apercebe-se que Nadir quebrou o seu compromisso de amizade, ordena a execução dos dois. Mais tarde, Zurga sente-se cheio de remorsos. Porém, quando vê que o amor de Leila por Nadir permanece forte, recusa-lhe clemência. Ao sair, Leila pede a um pescador que leve um colar á sua mãe. Zurga reconhece este colar como o presente que um dia deu a uma jovem rapariga que lhe salvara a vida.
Junto á pira sacrificial, Leila e Nadir aguardam a execução. Pouco antes do momento final, Zurga aparece e distrai Nourabad e a multidão sedenta de sangue, com a noticia de que o acampamento que lhes serve de casa se encontra em chamas. Depois de todos debandarem para salvar as suas posses, Zurga liberta Nadir e Leila, explicando que ele é o homem que Leila um dia salvou, tendo deliberadamente ateado o incêndio para salvar a vida desta como forma de retribuição. Nadir e Leila fogem com a bênção de Zurga.