Festival de Teatro do Improviso com seis espetáculos de 20 a 23 de abril em Sintra

| Cultura

Seis espetáculos, como "Os miseráveis", a partir de Victor Hugo, e "Passageiro", com atores da Porta dos Fundos, compõem a sexta edição de Espontâneo -- Festival Internacional do Improviso, a decorrer em Sintra de 20 a 23 de abril.

Continuar a mostrar ao público que há muitas abordagens, e não apenas a da comédia, no teatro do improviso, é um dos objetivos do festival, disse à agência Lusa o diretor da iniciativa, Marco Graça.

Sobre a edição deste ano, o diretor sublinhou o facto de contar com "uma lenda do improviso", a norte-americana Susan Messing, uma improvisadora de Chicago -- "a Meca do teatro do improviso" -, que se apresenta no dia 21, e com dois brasileiros, César Gouvea e André Giraldo, do grupo de comédia Porta dos Fundos, que participam em "Passageiro", com o colombiano Gustavo Miranda.

"Passageiro" é um espetáculo "muito cómico, muito poético e um bocadinho fora da caixa em relação aos outros espetáculos", disse o diretor do Espontâneo à agência Lusa.

"O motor deste festival era não haver, em Portugal, um certame dedicado ao teatro do improviso. E, como existe em toda a Europa, decidimos avançar com a primeira edição, em 2012, porque, além de gostarmos de mostrar ao público o potencial deste tipo de teatro, desejávamos também mostrar o fator eclético que tem a improvisação teatral", acrescentou.

"Ao longo das várias edições ainda só não conseguimos trazer improvisadores do continente africano", disse Marco Graça, sublinhando que "uma das particularidades do certame é conseguir juntar atores-improvisadores de países latino-americanos, lusófonos, norte-americanos e do Canadá".

"O público português tem muita facilidade em entender línguas, e isto é quase único no contexto de outros festivais que se realizam noutros países da Europa, nos quais a língua oficial é o inglês", referiu.

A sexta edição do Espontâneo, que vai decorrer no Centro Cultural Olga Cadaval, em Sintra, conta com a participação de sete companhias, mas também com atores a título individual, referiu Marco Graça.

Na sexta-feira e no sábado, 21 e 22 de abril, antes do espetáculo principal, o público poderá ver uma versão improvisada de "Os miseráveis", que será dirigida por um encenador espanhol, que envolve atores de várias companhias presentes no festival.

Esta edição do certame conta com participantes do Brasil, Colômbia, Estados Unidos, Espanha, França e Reino Unido, e vai abrir portas a novos valores da improvisação, de acordo com o diretor, com o espetáculo "Mistr Impro", um campeonato de improviso cómico em que o público elegerá o melhor improvisador da noite.

Entre os espetáculos a apresentar contam-se "Warm Leggers", pelos ingleses Maria Peters & Rhiannon Vivian, que abrirá o certame, na noite de 20 de abril, e "Messing with a friend", da norte-americana Susan Messing, a apresentar no dia seguinte.

Outros espetáculos são "Os miseráveis", a partir de Vitor Hugo, com improvisadores das companhias presentes no certame, a representar duas noites consecutivas, "Passageiro", pelo colombiano Gustavo Miranda e pelos brasileiros César Gouvea e Andrés Giraldo (dia 22), e "Improlight box", pelos franceses Franck Buzz e Thomas Ury (dia 23).

O festival Espontâneo tem produção do grupo de teatro Instantâneos, com a Câmara Municipal de Sintra.

Tópicos:

Chic, César Gouvea Andrés Giraldo, Franck Buzz Thomas Ury, Gustavo, Olga Cadaval, Sintra, Victor, Vitor,

A informação mais vista

+ Em Foco

É impossível passar ao lado de um marco temporal como o dos 100 dias, alvo de tantas avaliações e balanços por parte da imprensa.

    Em entrevista à Antena 1, o Presidente da República diz que o crescimento da economia é o que mais o preocupa agora.

    A RTP agrupa as sondagens disponíveis e traça as tendências do eleitorado para a derradeira votação da eleição presidencial francesa.

      A Associação Adeptos dos Sonhos canalizava 90% do dinheiro recolhido em ações de caridade para uma empresa do namorado da presidente.