Filme inspirado nas cartas de amor de Mariana Alcoforado estreia-se em França

| Cultura

O filme "Les Lettres Portugaises", dos realizadores franceses Bruno François-Boucher e Jean-Paul Seaulieu, estreia-se esta quarta-feira, em França, levando ao grande ecrã as cartas de amor de uma freira portuguesa do século XVII.

O filme inspira-se nos textos que alegadamente Soror Mariana Alcoforado teria escrito a um oficial francês e que foram publicados pela primeira vez, em francês, em 1669, pelo escritor Gabriel-Joseph de Lavergne, conde de Guilleragues, com o título "Les Lettres de la Religieuse Portugaise"

O realizador Bruno François-Boucher disse à Lusa ter descoberto o romance epistolar graças à atriz Ségolène Point, que acabou por interpretar Mariana Alcoforado no filme.

"Descobri no livro muito do meu universo sobre a paixão amorosa, sobre os sentimentos e, sobretudo, interessei-me muito pela polémica sobre quem escreveu as cartas: Mariana Alcoforado ou Guilleragues? Foi algo que me apaixonou, porque é uma polémica que dura há 300 anos. Pessoalmente, acho que foi ela", explicou o realizador.

Mariana Alcoforado é a presumível autora de "As cartas portuguesas", que acabaram por se tornar num clássico da literatura universal ao anteciparem o movimento literário romântico e ao tornarem-se "no modelo, constantemente imitado, da carta de amor", tendo suscitado, "em todas as épocas a admiraçao de escritores como Stendhal ou a marquesa de Sévigné, inspirando também os artistas mais prestigiados como Modigliani e Matisse", pode ler-se no dossier de imprensa do filme.

O realizador decidiu deslocar-se a Portugal investigar "As cartas portuguesas" e acabou por filmar grande parte do filme em Beja, tendo tido o apoio da Embaixada de Portugal em França e do Instituto Camões.

"Filmámos no Convento de Nossa Senhora da Conceição, porque quis realmente que uma parte fosse filmada aí, para dar mais veracidade à história. Filmámos várias cenas de exterior no Alentejo, cenas oníricas em que precisei da luz de Portugal, e também filmámos no Castelo de Beja. No início do filme, há uma parte mais `documentário`, em que vemos a personagem que vem impregnar-se da história de Mariana Alcoforado", explicou o realizador.

Esta é a primeira longa-metragem de Bruno François-Boucher, que já foi assistente dos realizadores André Téchiné, Patrice Leconte, Alain Corneau e Luc Besson.

A banda sonora do filme é da autoria de Francisco Ricardo, sendo composta por temas de compositores portugueses dos séculos XVII/XVIII, como Diogo Diaz Melgaz ou Antonio Marques Lesbio, interpretados pela Academia dos Singulares, que o músico fundou em 2008, na Escola de Música do Conservatório Nacional de Lisboa.

"Les Lettres Portugaises" deve ser lançado "em breve" em Portugal, de acordo com Bruno François-Boucher, que aponta a estreia para "fim de 2015, início de 2016".

O filme foi seleccionado para o Festival International du Film du Patrimoine de Vincennes, em França, para o Titanic International Festival, na Hungria, e o Alexandria Film Festival for Mediterranean Countries, no Egipto.

Tópicos:

Alcoforado, André Téchiné Patrice Leconte Alain Corneau, Bruno François Boucher, Camões Filmámos, Giel Joseph, International Film Patrimoine, Mediterranean Countries, Modigliani, Senhora, Soror, Titanic International, XVII XVIII Diogo Diaz Melgaz Antonio,

A informação mais vista

+ Em Foco

A primeira-ministro britânica descarta um segundo referendo, por considerar que não vai solucionar a encruzilhada que o Reino Unido enfrenta.

Xi Jinping passou dois dias em Lisboa, na primeira visita de Estado a Portugal desde que é Presidente da República Popular da China. Foram assinados vários acordos bilaterais.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      O processo de degelo na Gronelândia acelerou substancialmente nas últimas décadas. Os investigadores alertam para o perigo da subida do nível da água do mar.