Performance e animação digital "1K Ways to Die" estreia-se hoje na bienal BoCA

| Cultura

O espetáculo "1K Ways to Die", de Florentina Holzinger & Claudia Maté, que explora a relação entre `performance` e animação digital, vai ter hoje estreia mundial, em Lisboa, na programação da BoCA - Bienal de Arte Contemporânea.

O espetáculo será apresentado hoje e na sexta-feira, às 21:30, e às 19:00, na Galeria Zé dos Bois (ZDB Negócio), na rua de O Século, em Lisboa, de acordo com a programação.

Em "1K Ways to Die", a coreógrafa e `performer` austríaca Florentina Holzinger, e a artista espanhola de novos media Claudia Maté, investigaram a relação entre `performance` e animação digital para explorar os temas de alienação e identidade individual na sua relação com a beleza e a perfeição.

Nascida em 1986, Florentina Holzinger tem explorado, no seu trabalho, diferentes modos de representação feminina, numa tentativa de encontrar um espaço libertador para dar expressão ao potencial da fisicalidade humana.

Nos seus espetáculos, marcados pela cultura pop contemporânea, mistura a dança, o teatro, a patinagem e a acrobacia.

Atualmente, Florentina Holzinger é artista residente no International Choreographic Arts Center, em Amesterdão, na Holanda.

Cláudia Maté, nascida em 1985, é uma artista digital que trabalha entre programação, obras em três dimensões (3D), videojogos, `gifs` e som, com a ambição de fundir Internet e a interatividade da tecnologia 3D numa estética não ideológica.

As artistas, que tiveram uma primeira colaboração em 2016, no festival Impulstanz, em Viena, foram convidadas pela Bienal BoCA a apresentar um novo trabalho em Portugal, onde estarão pela primeira vez.

Até 30 de abril, a primeira edição da BoCA - Bienal de Arte Contemporânea vai apresentar uma programação em Lisboa e no Porto, com 15 espetáculos em estreia mundial num contexto transdisciplinar, das artes visuais e performativas à música.

Tópicos:

BoCA, Die, Galeria Zé Bois ZDB, Impulstanz, International Choreographic Arts Center Amesterdão, Nascida,

A informação mais vista

+ Em Foco

Em entrevista à RTP, o candidato derrotado nas diretas do PSD diz que o partido deve serenar após o Congresso e admite que vai ser “muito difícil ganhar eleições" no quadro atual.

Nicolás Maduro quer alargar poderes e, para tal, leva a cabo eleições antecipadas. É um "golpe constitucional", na leitura de Filipe Vasconcelos Romão, comentador da Antena 1.

Abrir uma torneira e vê-la jorrar água. É um ato tão comum que nunca imaginamos um dia em que tal quadro possa desaparecer. Algo que está prestes a tornar-se realidade na África do Sul.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.