Em direto
Eleições Europeias. Debate entre nove candidatos por partidos sem representação parlamentar

Atingir a neutralidade climática na Europa até 2050 custa 40 biliões de euros

por RTP
Pascal Rossignol - Reuters

Para conseguir cumprir as metas de neutralidade climática até 2050, a União Europeia tem de investir 40 triliões de euros, mantendo-se alinhada com a agenda de transição ecológica, segundo um relatório publicado esta terça-feira.

São estas as conclusões do estudo Road to Net Zero, do Instituto Rousseau, que reuniu "mais de 150 investigadores e especialistas de toda a Europa”, para analisar os investimentos públicos e privados necessários para alcançar a neutralidade climática até 2050.

Segundo o estudo, os 27 Estados-Membros têm de “canalizar financiamento” para aumentar o investimento no equivalente a 2,3 por cento do PIB europeu, em iniciativas ecológicas.“Para efeitos de comparação, isto representa metade dos custos de importação de combustíveis fósseis da União Europeia em 2022”.


Os investimentos públicos “devem ser duplicados de 250 para 510 mil milhões de euros por ano para catalisar o investimento privado e as soluções financeiras de descarbonização”. É um investimento extra de 260 mil milhões de euros por ano.

O valor é “inferior à despesa da UE com a recuperação da covid-19 (338 mil milhões de euros por ano) ou dos subsidios dos combustíveis fósseis da UE-27 (359 mil milhões de euros por ano)”.

Segundo Guillaume Kerlero, diretor para a transição ecológica do Instituto Rousseau, o estudo apresentou “níveis detalhados sem precedentes sobre a necessidade de investimento adicional, em particular no setor público”.

De acordo com o estudo, estes gastos para a neutralidade climática vão ser mais elevados se o investimento for adiado, uma vez que podem surgir custos mais altos de adaptação às alterações climáticas.

Guillaume Kerlero diz que é necessário escolher porque “se não conseguirmos cumprir os nossos objetivos de transição climática, abriremos caminho para um futuro muito incerto e continuaremos a gastar o dobro do dinheiro necessário para a transição na importação de combustíveis fósseis. Ou escolhemos um planeamento responsável, que criará centenas de milhares de empregos na Europa, melhorará o poder de compra dos europeus a curto prazo, mas também melhorará a nossa soberania e a nossa balança comercial”.

A equipa do estudo analisou “37 alavancas de descarbonização e mais de 70 políticas públicas”. Para conseguir reduzir significativamente as emissões da União Europeia, é necessário investir em políticas verdes nos principais setores da produção de energia, transporte e reformas de edifícios.
Tópicos
pub