Em direto
Euro2024. Acompanhe aqui, ao minuto, o encontro do Grupo B entre Espanha e Croácia

Banco Central do Brasil revê em alta crescimento económico este ano para 1,9%

por Lusa

O Banco Central do Brasil subiu a projeção de crescimento económico para o país em 2024 de 1,7% para 1,9%, justificando-a com um "dinamismo ligeiramente maior" do que o esperado no início do ano.

Não obstante, a cumprir-se, esta taxa de crescimento corresponderá à terceira contração consecutiva do Produto Interno Bruto (PIB) da maior economia latino-americana, que cresceu 4,8% em 2021, 3% em 2022 e 2,9 % em 2023.

A previsão da instituição monetária no seu relatório trimestral publicado hoje é inferior à do Governo do Presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, que prevê um crescimento de 2,2% este ano.

O banco central prevê uma contração no setor agrícola, após um pico de produção no ano passado. Em contrapartida, espera um nível de atividade semelhante para a indústria e o setor dos serviços, assim como vê sinais positivos no mercado de trabalho.

Por outro lado, o banco sublinha uma ligeira desaceleração do aumento dos preços, com as expectativas de inflação para 2024 a descerem de 3,9 para 3,7% ao ano.

Apesar da melhoria das perspetivas, a instituição afirma que o complicado cenário internacional, marcado por conflitos militares, "exige calma e moderação na condução da política monetária".

Na semana passada, o Banco Central do Brasil reduziu a taxa de juro diretora em 0,5 pontos percentuais para 10,75% ao ano, na sexta queda consecutiva desta magnitude e colocando a taxa no seu nível mais baixo desde fevereiro de 2022.

Os membros da administração da instituição também sinalizaram que haverá um corte semelhante na próxima reunião, embora tenham insinuado a possibilidade de reduções menores no futuro.

pub