Estrutura acionista da Media Capital fica "definitivamente estabilizada" diz Mário Ferreira

por Lusa

O presidente do Conselho de Administração da Pluris Investments, Mário Ferreira, afirmou hoje que a estrutura acionista da Media Capital fica "definitivamente estabilizada" e "agora é tempo de olhar em frente" e focar no "desenvolvimento da empresa".

A Pluris Investments, do empresário Mário Ferreira, adquiriu 5,16% da Media Capital na sequência da Oferta Pública de Aquisição (OPA) obrigatória que terminou na quarta-feira, passando agora a deter 35,38% da dona da TVI.

Em comunicado, o empresário, dono da Douro Azul, salienta que "este é um momento marcante e importante para a Media Capital e para os seus acionistas", apontando que "após a autorização da ERC [Entidade Reguladora para a Comunicação Social], concedida há dois meses, fica agora definitivamente estabilizada a estrutura acionista da empresa, após um longo, minucioso e exigente processo regulatório".

Mário Ferreira, que também é presidente do Conselho de Administração da dona da TVI, acrescenta que "é agora tempo de olhar em frente para que, com tranquilidade, todos os `stakeholders` do grupo Media Capital se foquem no desenvolvimento da empresa, numa altura em que o setor dos media sofre profundas transformações em todo o mundo".

O empresário deixa ainda uma garantia aos acionistas, colaboradores e públicos dos vários órgãos de comunicação social da Media Capital: "Podem contar com a forte ambição e o empenho diligente da Pluris no desenvolvimento de um projeto pluralista, livre, diversificado e inovador que prestigia o setor e o país".

O objeto da oferta visava 58.973.297 ações representativas de 69,78% dos direitos de voto da Media Capital, dos quais 54.487.759 ações (64,47%) eram objeto de ordens de bloqueio e 4.485.538 ações (5,31%) poderiam ser objeto de aceitação na OPA obrigatória.

De acordo com o resultado da oferta, hoje divulgado em comunicado enviado à Comissão do Mercado de Valores Mobiliários (CMVM), a Pluris Investments, que detinha 30,22% da Media Capital, adquiriu 5,16% (4.361.794 ações) "em resultado da oferta através do serviço de centralização de bolsa", passando assim a deter 35,38% (29.901.677 ações).

A contrapartida da oferta era de 0,7395 euros por ação.

Criada há 33 anos, a Media Capital conta com quatro áreas de negócio - televisão; produção audiovisual; rádio e entretenimento; digital e outros -, está cotada em bolsa há 17 anos e tem uma capitalização bolsista de cerca de 89 milhões de euros, de acordo com os dados hoje divulgados.

A OPA tinha sido preliminarmente anunciada pela Pluris, de Mário Ferreira, em 25 de novembro do ano passado, na sequência da decisão da CMVM.

A entidade reguladora considerou, na altura, "demonstrado o exercício concertado de influência dominante" sobre a dona da TVI, entre a Prisa (que na altura detinha a empresa) e a Pluris, até a alienação total da participação do grupo espanhol em 03 de novembro último.

A OPA obrigatória foi registada em 20 de julho último.

A Autoridade da Concorrência (AdC) tinha dado `luz verde`, em janeiro, à operação de concentração por não ser suscetível de criar "entraves significativos à concorrência".

Em 08 de junho, a Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) "concedeu incondicionalmente a autorização para que a Pluris pudesse vir a adquirir o controlo" da Media Capital, "já depois de, nos termos estabelecidos por aquela entidade, a Pluris e a Prisa terem `repetido` o negócio que já haviam celebrado há mais de um ano (isto é, transmissão de 30,22% da Media Capital a favor da primeira)".

A liquidação da oferta será realizada em 09 de agosto.

Tópicos
pub