Guardas prisionais iniciam hoje greve às diligências

por RTP
Paulo Cunha - Lusa

Os guardas prisionais dão, esta terça-feira, início a um período de praticamente duas semanas de greve às diligências, um protesto convocado pelo Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional (SNCGP) que pode comprometer o transporte de presos aos tribunais.

A paralisação de quase duas semanas pode comprometer, por exemplo, o transporte de presos para os tribunais.

A greve vai durar até 25 de fevereiro. Os guardas prisionais exigem a reestruturação dos suplementos remuneratórios, a "aprovação do sistema de avaliação de desempenho" e a "valorização e dignificação dos profissionais.

O pré-aviso remetido ao Governo, aos Governos regionais, à Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) e aos diretores dos estabelecimentos prisionais do país "declara greve ao serviço de diligências" no período enunciado.

Com as mesmas reivindicações, o SNCGP agendou já a continuidade desta greve, entre 26 de fevereiro e 09 de março e cumpriu uma paralisação total de 24 horas a 31 de janeiro, tendo entretanto recebido a promessa do Governo de que até março haveria a aprovação do sistema de avaliação e desempenho.

Os guardas prisionais têm também marcado presença nos protestos das forças de segurança no último mês, motivados sobretudo pela atribuição de um subsídio de missão à PJ que deixou de fora, não só a guarda prisional, mas também a PSP e a GNR.


C/Lusa
pub