Reserva financeira de Macau ganha 2,54 mil milhões de euros em 2023

por Lusa

A reserva financeira de Macau ganhou 22,2 mil milhões de patacas (2,54 mil milhões de euros) em 2023, após ter perdido quase quatro vezes mais no ano anterior, indicam dados hoje divulgados.

A reserva financeira da região administrativa especial chinesa cifrou-se em 581,4 mil milhões de patacas (66,6 mil milhões de euros) no final de dezembro, de acordo com informação publicada em Boletim Oficial pela Autoridade Monetária de Macau (AMCM).

O resultado do ano passado representa uma melhoria significativa face a 2022, ano em que a reserva financeira perdeu 87 mil milhões de patacas (9,96 mil milhões de euros), sobretudo com as transferências para o orçamento do Governo do território.

No entanto, o valor permanece longe do recorde de 669,7 mil milhões de patacas (76,6 mil milhões de euros) atingido em fevereiro de 2021.

O valor da reserva extraordinária no final de dezembro era de 399,4 mil milhões de patacas (45,7 mil milhões de euros) e a reserva básica, equivalente a 150% do orçamento público de Macau para 2023, era de 152,1 mil milhões de patacas (17,4 mil milhões de euros).

A reserva financeira de Macau é maioritariamente composta por depósitos e contas correntes no valor de 256,3 mil milhões de patacas (29,3 mil milhões de euros), títulos de crédito no montante de 136,4 mil milhões de patacas (15,6 mil milhões de euros) e até 183 mil milhões de patacas (20,9 mil milhões de euros) em investimentos subcontratados.

A AMCM sublinhou que os investimentos renderam à reserva financeira quase 29 mil milhões de patacas (3,32 mil milhões de euros) em 2023, correspondendo a uma taxa de rentabilidade de 5,2%, indicou a instituição, em comunicado.

Mesmo no cenário de crise económica criada pela pandemia da covid-19, a reserva financeira de Macau tinha crescido em 2020 e 2021, apesar de o Governo ter injetado mais de 90 mil milhões de patacas (10,3 mil milhões de euros) no orçamento.

Em 2023, as autoridades da região voltaram a transferir quase 10,4 mil milhões de patacas (1,19 mil milhões de euros) da reserva financeira para o orçamento público.

A Assembleia Legislativa de Macau aprovou em 07 de novembro o orçamento da região para 2024, que prevê o regresso dos excedentes nas contas públicas, depois de três anos de crise económica devido à pandemia.

A proposta de lei aprovada na generalidade prevê que Macau termine este ano com um saldo positivo de 1,17 mil milhões de patacas (133,9 milhões de euros), "não havendo necessidade de recorrer à reserva financeira".

O território, cuja economia depende do turismo, cancelou a partir de dezembro de 2022 a maioria das medidas de prevenção e contenção, depois de quase três anos de rigorosas restrições impostas pela política `zero covid`, que também vigorou na China.

Tópicos
pub