Técnicos de reinserção social e prisões em greve às horas extra em 2024

por Lusa

Os trabalhadores das carreiras técnicas da reinserção social e serviços prisionais vão fazer greve às horas extraordinárias entre 01 de janeiro e 31 de dezembro de 2024, exigindo valorização salarial, de promoção nas carreiras e reforço de pessoal.

Segundo adianta o sindicato do setor, a greve abrange os técnicos profissionais de reinserção social (TPRS), os técnicos superiores de reinserção social (TSRS), os técnicos superiores de reeducação e os técnicos superiores da Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP).

O aviso prévio da greve, que decorrerá entre as 00:00 de 01 de janeiro e as 23:59 de 31 de dezembro de 2024, foi enviado para a entidade empregadora (DGRSP) e para membros do Governo, designadamente o primeiro-ministro, o ministro das Finanças, a ministra da Justiça, a ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, a secretária de Estado da Administração Pública, e o secretário de Estado Adjunto e da Justiça.

Os trabalhadores exigem a revisão e valorização salarial da carreira única especial, a abertura de concursos de promoção e o reforço de recursos humanos nas diferentes áreas profissionais.

Durante a greve ao trabalho extraordinário, refere o sindicato, a segurança e manutenção do equipamento e instalações serão asseguradas no âmbito dos serviços mínimos, sempre que tal se justifique.

Os serviços mínimos deverão ser fundamentalmente assegurados pelos trabalhadores que não pretendam exercer o seu legitimo direito à greve e, só na sua falta ou insuficiência, por trabalhadores grevistas, lembra o sindicato dos técnicos da DGRSP.

Tópicos
pub