"Trabalha-se muito em portugal mas trabalha-se mal por culpa da gestão, não dos trabalhadores".

| Economia
Trabalha-se muito em portugal mas trabalha-se mal por culpa da gestão, não dos trabalhadores.

A ver: "Trabalha-se muito em portugal mas trabalha-se mal por culpa da gestão, não dos trabalhadores".

As horas extra dos funcionários nas empresas devem-se em 42 por cento dos casos à falta de organização.
"Trabalham-se horas a mais para corrigir problemas. Há falta de planeamento", no Jornal 2 António Costa comenta o Barómetro Kaizen de Recursos Humanos. "Trabalha-se muito em portugal mas trabalha-se mal por culpa da gestão, não dos trabalhadores".

Só seis por cento dos casos onde foi necessário pagar horas extraordinárias aos trabalhadores portugueses dizem respeito ao excesso de encomendas de última hora.
Um estudo do Instituto Kaisen, o maior que é feito regularmente no nosso país à gestão de recursos humanos, atribuiu ainda 24 por cento da razão das horas extraordinárias à dimensão desadequada das empresas.
No Jornal 2 António Costa, que representa no nosso país o Kaisen Institut, volta a ser crítico da organização do trabalho e da qualidade da gestão na maioria das empresas portuguesas. Problemas que "levam a que no nosso país a produtividade seja efetivamente baixa".

A informação mais vista

+ Em Foco

A Festa dos Tabuleiros regressa às ruas da cidade de Tomar. Um longo desfile em que 750 tabuleiros são transportados por mulheres.

    Os líderes europeus não chegaram a acordo sobre quem deve liderar a União nos próximos cinco anos.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em conteúdos de serviço público. Notícias para acompanhar diariamente na página RTP Europa.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.