Conversa Capital com Nuno Gaioso Ribeiro

por RTP

A Antena1 e o Jornal de Negócios entrevistam o presidente da Associação Portuguesa de Capital de Risco.

O presidente da Associação Portuguesa de Capital de Risco, Nuno Gaioso Ribeiro, em entrevista ao programa Conversa Capital, defende que o fundo de estabilização da Segurança Social devia investir uma parte limitada dos seus ativos neste tipo de atividade.

Nuno Gaioso Ribeiro adianta já ter abordado o assunto com o governo e admite que mais tarde ou mais cedo não haja alternativa.

Em entrevista à Antena 1 e ao Jornal de Negócios, Nuno Gaioso Ribeiro, que é também presidente da Capital Criativo, considera que é recomendável que o Estado seja conservador na gestão dos ativos mas esse conservadorismo não deve ser extensivo a toda a carteira.

Nuno Gaioso Ribeiro fala ainda que dois e meio a cinco por cento dos ativos poderiam e deveriam no seu entender ser aplicados em capital de risco como já é feito em muitos países.

Aplicações que poderiam resultar em média em rentabilidades na ordem dos dez por cento.

O presidente da Associação Portugal de Capital de Risco acusa o Governo de ter uma "visão redutora" relativamente ao sector da capital de risco, porque remete a sua utilidade para as empresas em restruturação e as startup.

Por mais que seja importante olhar para aquelas empresas, Nuno Gaioso Ribeiro considera que é insuficiente e todos os segmentos de atividade devem ser considerados.

Neste sentido aponta o dedo aos atrasos no IFD (Instituição Financeira de Desenvolvimento) que "em tese" tem uma linha de 750 milhões de euros de engenharia financeira, mas que até agora ainda não colocou no mercado. Aliás, Nuno Gaioso Ribeiro adianta que ainda "não conseguiu perceber qual a utilidade do IFD".

Nuno Gaioso Ribeiro que é também vice-presidente do Benfica considera que o clima de confronto entre os clubes tem prejudicado a indústria do futebol. Admite mesmo que "a forma como a indústria se comporta no relacionamento entre clubes é destruidora de valor".

Uma entrevista que assistir na íntegra aqui: