Rússia neutraliza dezenas de drones ucranianos na Crimeia e no Mar de Azov

por Cristina Sambado - RTP
Alina Smutko - Reuters

A Rússia revelou esta terça-feira que neutralizou dezenas de drones ucranianos que sobrevoavam a península anexada da Crimeia e o Mar de Azov. Por seu lado, Kiev afirma ter abatido, na última noite, dez dos 17 drones lançados pelas forças de Moscovo.

“Uma tentativa do regime de Kiev de levar a cabo um ataque terrorista usando drones aéreos foi frustrada”, avançou o Ministério russo da Defesa em comunicado.

Os sistemas de defesa aérea destruíram 22 drones ucranianos e outros 13 foram intercetados sobre o Mar de Azov e a Crimeia”, acrescenta a nota.

A Crimeia, anexada pela Rússia em 2014, é regularmente alvo de ataques, uma vez que é a base de retaguarda da frota russa no Mar Negro e uma rota de abastecimento fundamental para as forças de Moscovo no sul e leste da Ucrânia.Drones russos abatidos em Lviv e Kharkiv
Os militares ucranianos revelaram que abateram dez dos 17 drones lançados durante a noite pela Rússia.

A Força Aérea ucraniana afirmou que os drones foram abatidos em “várias regiões” do país e que seus mísseis S-300 foram também lançados por Moscovo contra alvos civis nas regiões de Donetsk, e Kherson.
Moscovo tem negado repetidamente ter como alvo civis na Ucrânia, mas considera que as infraestruturas energéticas do país são um alvo militar legítimo.

O governador da região ocidental de Lviv afirmou que três drones atingiram uma infraestrutura não especificada, mas os danos foram mínimos e não se registaram vítimas.

Já as autoridades de Kharkiv, no leste da Ucrânia, revelaram que os drones tinham atingido casas particulares e edifícios residenciais, entre outros alvos civis, em pelo menos duas povoações.

Em Kherson, duas pessoas morreram na sequência de um bombardeamento russo no centro da cidade.

Kherson, no sul da Ucrânia, tem sido bombardeada pelo exército russo, posicionado do outro lado do rio Dnieper há meses. A cidade foi reconquistada pelas forças de Kiev há pouco mais de um ano.

Nas últimas semanas, as forças ucranianas tomaram posições na margem esquerda do Dnieper, onde as forças russas estão entrincheiradas, como parte dos esforços de Kiev para repelir os ataques da artilharia russa contra Kherson.

c/ agências
Tópicos
pub