Autoridade Palestiniana pede que outros países acompanhem "decisão certa" de Espanha

por Lusa

O primeiro-ministro da Autoridade Palestiniana, Mohammad Mustafa, defendeu hoje que o reconhecimento do Estado da Palestina é a "decisão certa" e a única maneira de assegurar que a solução dos dois Estados é viável.

"Há países que estão hesitantes, não é por não quererem que a Palestina seja um Estado, mas por acharem que vai ser o fim do processo de paz. O reconhecimento é a decisão certa, faz parte do processo de paz", disse Mohammad Mustafa, em conferência de imprensa conjunta com o ministro dos Negócios Estrangeiros de Espanha, José Manuel Albares, em Bruxelas (Bélgica).

Dirigindo-se a países da União Europeia (UE) e não só, como Portugal, que ainda não reconhecerem o Estado da Palestina, o primeiro-ministro da Autoridade Palestiniana disse que o processo de paz "é uma razão para apoiar o reconhecimento", em vez de cair em hesitações.

Mohammad Mustafa recordou que o Estado da Palestina é "uma promessa de paz pela qual a população palestiniana aguarda há 30 anos".

"É a coisa certa a fazer para que a solução dos dois Estados continue viável", sustentou.

O primeiro-ministro da Autoridade Palestiniana considerou que o reconhecimento do Estado da Palestina por Espanha, na próxima terça-feira, vai ser um "dia especial para a Palestina, para a justiça e para a Humanidade".

"Acolhemos a decisão corajosa de Espanha, que, mais uma vez, demonstrou o seu compromisso inequívoco com a solução dos dois Estados", disse Mohammad Mustafa, acrescentando que "demonstra a importância de reconhecer o direito dos palestinianos à autodeterminação".

E reforçou a ideia inicial: "É a única maneira de alcançar uma paz justa e compreensiva na região. O reconhecimento por parte de Espanha está em linha com o direito internacional e todas as resoluções das Nações Unidas".

"O Governo palestiniano, mais uma vez, apela a todos os Estados que ainda não reconhecerem o Estado da Palestina para o fazerem assim que possível", completou.

A Autoridade Palestiniana foi estabelecida em 1994 como o órgão de governação da Faixa de Gaza e da Cisjordânia, na sequência dos Acordos de Oslo, que previam a criação de dois Estados no território disputado.

Tópicos
pub