Maria Flor Pedroso entrevista Lino Maia

| Maria Flor Pedroso
Maria Flor Pedroso entrevista Lino Maia

Em entrevista à Antena 1, o presidente da Confederação das Instituições de Solidariedade refere que é importante a associação Raríssimas não acabar por causa desta polémica. Lino Maia é o entrevistado desta semana de Maria Flor Pedroso.

O padre Lino Maia, presidente da CNIS (Confederação das Instituições de Solidariedade) afirma que a Raríssimas "tem de ser salva" e já se está a tratar disso com os associados. Para o presidente do CNIS a Raríssimas é uma instituição "inovadora e com um trabalho notável".

Lino Maia confessa-se "chocado" com os 5 milhões de euros que a Raríssimas recebeu do Estado de 2012 para cá. O conselho fiscal é que tinha de fiscalizar as contas e não a Assembleia Geral e "parece-me que houve aqui uma falha". Estranha que nem sequer tenha havido denúncia para o presidente da Assembleia Geral "que se saiba não aconteceu".

Lino Maia deixa, neste entrevista à Antena1, a garantia de que estas instituições têm escrutínio. Em ano e meio foram mais de mil instituições inspecionadas com 46 processos instaurados, "no global estamos num número de cumprimento bastante bom".

Só em 5% das IPSS é que os cargos dirigentes são remunerados. E é assim que deve ser, considera Lino Maia, "prefiro o voluntariado".

Pode ver esta entrevista na íntegra aqui:

Relacionados:

A informação mais vista

+ Em Foco

Veja ou reveja a primeira entrevista de Rui Rio depois de ter sido eleito presidente do PSD.

Na hora da despedida da liderança social-democrata, as juventudes partidárias olham para o legado do ex-primeiro-ministro, com uma pergunta em mente: se Portugal não falhou, o que dizer de Pedro Passos Coelho?

    Em entrevista ao programa Visão Global da Antena 1, o ministro dos Negócios Estrangeiros reforça o apoio ao diálogo político na Venezuela e falou sobre as relações entre Portugal e Angola.

    Uma caricatura do mundo em que vivemos.