Alec Baldwin. Arma era "legítima" e acusações criminais não estão descartadas

por RTP
Reuters

A promotora distrital do condado de Santa Fé afirmou que a arma que Alec Baldwin disparou era "legítima" e que as acusações criminais não estão descartadas.

A promotora Mary Carmack-Altwies afirmou ao New York Times que “era uma arma legítima. Era uma arma antiga, apropriada para a época”.

Segundo Mary Carmack-Altwies no local das filmagens do film “Rust” foi encontrada “uma enorme quantidade de balas”.

Sobre possíveis acusações, a promotora foi clara: “Neste momento, tudo está em cima da mesa. Incluindo acusações criminais”.

Documentos judiciais divulgados, na terça-feira, revelam que os investigadores apreenderam três revólveres, caixas com munições, uma pochete com munições, vários cartuxos usados, dois cintos de couro com coldres, peças de roupa e cotonetes do que acreditam ser sangue. O ator norte-americano Alec Baldwin matou acidentalmente a diretora de fotografia do filme que estava a rodar, ao disparar uma arma de adereço que não devia estar carregada.

O acidente ocorreu, na passada quinta-feira, no rancho de Bonanza Creek, no Novo México, onde decorriam estavam a ser filmadas várias cenas do western, do qual Baldwin era produtor e protagonista. A diretora de fotografia Halyna Hutchins morreu e o realizador Joel Souza ficou ferido.

A arma usada pelo ator foi uma das três que um especialista em armas de fogo, ou armeiro, colocou num carrinho de adereços.

Segundo as primeiras investigações, no momento em que a equipa de filmagens se preparava para ensaiar uma cena, o assistente de realização David Halls foi buscar uma arma de adereço que entregou a Alec Baldwin gritando a expressão cold gun, o que significa que era seguro usar a arma, por não estar carregada com munições verdadeiras.
Equipa já se tinha queixado de falta de segurança
Sete pessoas que trabalhavam no filme demitiram-se antes deste incidente invocando, entre outras, questões de segurança.

Dias antes do incidente fatal, Baldwin já tinha feito dois disparos com balas reais, acidentalmente, por ter usado uma arma que lhe tinham dito que não estava carregada com munições.

A última pessoa a demitir-se, segundo o relato da agência AFP, foi um operador de câmara, em protesto contra as condições de trabalho, incluindo as de segurança. Assistente tinha sido despedido por acidente semelhanteO assistente de realização que deu a Alec Baldwin a arma carregada já havia sido despedido de um filme anterior por um acidente semelhante, afirmou um produtor.

"Dave Halls foi despedido das filmagens de 'Freedom's Path' em 2019 depois de um membro da equipa sofrer ferimentos leves quando uma arma foi disparada acidentalmente".

"Halls foi expulso do local de filmagens imediatamente" e "a produção não voltou a filmar até que Dave saiu", frisou a fonte à AFP, acrescentando que na altura foi elaborado um relatório escrito sobre o incidente.Petição para que armas reais sejam banidas de filmagensMais de 15 mil pessoas assinaram uma petição a pedir a proibição de armas de fogo nas filmagens.

A petição, alojada no site change.org pede a proibição de armas de fogo reais em filmagens, mas também melhores condições de trabalho para as equipas envolvidas na produção de filmes.

“Não há nenhuma razão para uma coisas destas acontecer no século XXI”, refere o texto da petição lançada pelo cineasta Bandar Albuliwi.

c/agências
Tópicos
pub