Atentado em Manchester: o que já se sabe

| Mundo

Autoridades tentam perceber se homem que se fez explodir agiu sozinho
|

Pelo menos 22 pessoas morreram e 59 ficaram feridas na sequência de um atentado suicida no fim de um concerto da artista Ariana Grande em Manchester. A polícia acredita que o indivíduo agiu sozinho, com recurso a um engenho "improvisado". As investigações prosseguem.

A explosão ocorreu quando eram 22h35 em Lisboa, no fim de um concerto da artista pop Ariana Grande. A polícia de Manchester informou desde logo que tinham sido acionados os serviços de socorro perante os relatos de que teria havido uma explosão na Manchester Arena, a sala com capacidade para 21 mil pessoas onde decorria o concerto.



Esta manhã, a polícia confirmou que há pelo menos 22 vítimas mortais e 59 feridos e que há crianças entre as vítimas. As autoridades policiais revelaram também que o atacante morreu na explosão. A polícia acredita que o atacante agiu sozinho, tendo se feito explodir com recurso a um engenho "improvisado". As investigações prosseguem para apurar se fazia parte de alguma rede mais vasta. 


A primeira-ministra britânica já anunciou que o incidente desta noite está a ser “tratado pela polícia como um terrível ataque terrorista”. Num comunicado emitido já de madrugada, Theresa May acrescentou que todos os seus pensamentos estão com as vítimas e as famílias dos que foram afetados.

O ataque ainda não foi reivindicado por nenhum grupo terrorista. No entanto, apoiantes do Estado Islâmico celebraram esta explosão nas redes sociais com mensagens de incitamento a que sejam levados a cabo ações semelhantes.
 
Este ataque é já o atentado mais mortífero em território britânico desde 2005. Os ataques de julho desse ano, em Londres, em estações de metro e num autocarro, provocaram 56 mortos.
Testemunhos

Uma testemunha que esteve no concerto de Ariana Grande, ouvida pela Reuters, diz ter ouvido uma grande explosão quando abandonava a sala: “Estávamos a sair e já na porta deu-se uma explosão gigantesca e começou toda a gente a gritar”.

“Foi uma explosão gigantesca, podíamos sentir o impacto no peito. Foi caótico. Toda a gente começou a correr aos gritos e a tentar chegar às saídas”, acrescentou. "Havia sangue por todo o lado", declarou outra testemunha, citada pela CNN.


Na rede social Twitter, a cantora Ariana Grande afirmou estar "destroçada" perante os acontecimentos. "Do fundo do meu coração, lamento imenso. Não tenho palavras", escreveu a cantora norte-americana.



A informação mais vista

+ Em Foco

Veja ou reveja aqui os debates na RTP com os candidatos às presidências das câmaras municipais das 18 capitais de distrito de Portugal Continental. A série é transmitida até 14 de setembro.

    Natalidade, envelhecimento, turismo, agricultura, emigração, pobreza, saúde, desigualdades. A Antena 1 fixa o país em duas dezenas de retratos no caminho para as eleições autárquicas.

      Sem possibilidade de receber os ordenados em euros ou de pagar as contas em Portugal, muitos recorrem ao mercado negro para trocar dinheiro.

      É portuguesa a única equipa do mundo que faz o despiste genético de cancro do estômago. Os investigadores viram agora renovado o financiamento.