Comissão Política da Frelimo sem "comunicação formal" de candidatura de filho de Machel

por Lusa

A porta-voz da Frente de Libertação de Moçambique (Frelimo) disse hoje que a Comissão Política desta força partidária desconhece formalmente a intenção do filho do falecido Presidente Samora Machel de concorrer a candidato do partido para as presidenciais moçambicanas.

"Sobre este assunto a comissão não teve nenhuma discussão porque não recebemos nenhuma comunicação oficial", declarou à comunicação social Ludmila Maguni, à margem da reunião do Conselho Nacional da Organização da Mulher Moçambicana (OMM), um "braço" político do partido, na escola daquela força política na Matola, nos arredores da capital (Maputo).

Samora Machel Júnior, filho do primeiro Presidente de Moçambique, Samora Machel, anunciou a sua intenção de concorrer, no seio da Frelimo, a candidato do partido no poder às eleições presidenciais de 09 de outubro.

"A minha candidatura é um misto de inquietações, mas também de esperança, visando dar respostas aos problemas e desejos dos moçambicanos", refere-se na "Apresentação de manifesto de pré-candidatura" de Samora Machel Júnior, a que a Lusa teve hoje acesso.

O político, membro do Comité Central da Frelimo, diz, no manifesto, que a sua eventual presidência quer garantir um ambiente propício ao desenvolvimento económico e social, com especial atenção à criação de empregos para jovens e assistência aos mais necessitados.

"O nosso desafio não é apenas o de desenvolver Moçambique, é de levar Moçambique a encontrar o lugar a que tem direito no concerto das nações", prossegue a proposta do filho de Samora Machel, que governou o país entre 1975 e 1986.

O Comité Central da Frelimo vai reunir-se na sexta-feira e no sábado, 05 e 06 de abril, mas ainda não está disponível a agenda concreta da reunião do órgão, o mais importante no intervalo entre congressos.

A Comissão Política da Frelimo, órgão que sugere a lista de pré-candidatos do partido, esteve hoje reunida em sessão ordinária, mas não esclareceu se vai levar à reunião do Comité Central, para votação, a lista de candidatos selecionados para suceder a Filipe Nyusi como candidato a Presidente da República nas eleições de outubro.

Moçambique vai realizar em 09 de outubro as sétimas eleições presidenciais e legislativas, as segundas para os governadores provinciais e as quartas para as assembleias provinciais.

O atual Presidente da República e da Frelimo está constitucionalmente impedido de voltar a concorrer para o cargo, porque cumpre atualmente o segundo mandato na chefia de Estado, depois de ter sido eleito em 2015 e em 2019.

Tópicos
pub