Covid-19. Índia bate recorde global de novos casos diários

por Joana Raposo Santos - RTP
Só nos últimos quatro dias foram registados mais de um milhão de casos de Covid-19 na Índia. Amit Dave - Reuters

Em apenas 24 horas foram registados, na Índia, 314.835 novos casos de Covid-19, o número diário mais elevado de todos os países desde o início da pandemia. Este novo recorde foi atingido numa altura em que o sistema de saúde do país asiático está à beira do colapso. Os especialistas consideram que uma nova estirpe, assim como o relaxamento precoce de medidas, estão a ser os responsáveis pela situação dramática que se vive por toda a Índia.

A propagação sem precedentes do novo coronavírus na Índia está a ser atribuída, pelos especialistas, a uma estirpe mais contagiosa e ao relaxamento precoce das medidas de contenção por parte do Governo.
Antes do recorde atingido nas últimas 24 horas pela Índia, o número mais alto de novos casos diários pertencia aos Estados Unidos, que a 2 de janeiro contabilizaram 300.310 infeções.
A sobrelotação hospitalar é considerada uma consequência do agravamento da pandemia mas também uma causa, uma vez que muitas cidades não têm camas onde acolher os pacientes, nem oxigénio ou medicamentos para lhes fornecer, e estes acabam por ter de ficar em casa junto dos familiares, onde o risco de os contagiarem aumenta.

Os hospitais já alertaram que não conseguem dar resposta à procura e alguns já disseram ter apenas mais algumas horas de fornecimento de oxigénio.

Num hospital do Estado indiano de Maharashtra, morreram na quarta-feira pelo menos 24 pessoas infetadas quando o fornecimento de oxigénio deixou de chegar aos seus ventiladores devido a uma fuga.

Maharashtra entrou, horas depois, num confinamento mais apertado, anunciando que qualquer viagem em veículos privados só é permitida em caso de emergência médica e que apenas funcionários públicos e da área da saúde podem usar os comboios.

Já em Deli, o mais alto tribunal da cidade criticou publicamente o governo central pelo modo como está a gerir a crise de oxigénio. “Isto é ridículo. Queremos saber o que o governo está a fazer em relação ao abastecimento de oxigénio por toda a Índia”, exigiram os juízes. Só nos últimos quatro dias foram registados mais de um milhão de casos de Covid-19 na Índia.

No mesmo dia em que a Índia alcançou o recorde mundial de novos casos diários, atingiu também um recorde nacional de novas mortes: 2.104 em apenas 24 horas.

Entre as vítimas mortais está o académico islâmico Maulana Wahiduddin Khan, a quem o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, prestou homenagem no Twitter: “Vai ser lembrado pelo seu profundo conhecimento nos assuntos da teologia e espiritualidade”, escreveu.

Alguns dos mais relevantes políticos indianos já foram infetados pelo SARS-CoV-2, incluindo o ex-primeiro-ministro Manmohan Singh, que já tinha sido vacinado. Ashok Kumar Walia, antigo ministro de Deli, também foi contagiado e acabou por morrer esta semana.

“Nunca pensámos que uma segunda onda nos atingisse tão gravemente”, admitiu ao Economic Times Kiran Mazumdar Shaw, presidente de uma empresa indiana de cuidados de saúde. “A complacência levou a uma escassez imprevista de medicamentos, equipamentos médicos e camas de hospital”.
Grandes festivais e comícios políticos foram permitidos
Os especialistas consideram que o país relaxou demasiado cedo as medidas de contenção do vírus, depois de assumir erradamente que a pandemia estava a acalmar. Os casamentos e grandes festivais – incluindo um festival religioso que juntou milhões de pessoas - foram permitidos pelo Governo, e o próprio primeiro-ministro participou em comícios sobrelotados no âmbito das eleições locais.

Por estas e outras razões, “a Covid-19 tornou-se uma crise de saúde pública na Índia, levando a um colapso do sistema de saúde”, lamentou ao Guardian Krutika Kuppalli, professora de infeciologia numa universidade norte-americana.

Até agora, o país administrou 130 milhões de doses da vacina contra a Covid-19 – o terceiro número mais elevado de doses, após os Estados Unidos e a China. No entanto, com uma população de 1,3 mil milhões de pessoas, isto significa que apenas oito por cento da população indiana recebeu pelo menos uma dose da vacina.

O Governo de Modi tinha já planeado inocular todos os adultos do país no próximo mês, mas o plano está a ser atrasado devido a uma quebra na produção de vacinas causada pela falta dos materiais necessários.

Desde o início da pandemia na Índia, 15.9 milhões de pessoas foram infetadas e mais de 184 mil morreram devido à Covid-19, segundo o Ministério da Saúde.

Tópicos
pub