Covid-19. Reino Unido aprova vacina da Pfizer-BioNTech

por RTP
Peter Cziborra - Reuters

O Reino Unido é o primeiro país do mundo a aprovar a vacina da Pfizer-BioNTech e garante que a imunização irá começar já na próxima semana. Até ao final de 2020 deverão chegar ao país 10 milhões de doses.

"O Governo aceitou hoje a recomendação da Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos para a Saúde (MHRA) para aprovar a vacina Pfizer-BioNTech. A vacina estará disponível para uso em todo o Reino Unido a partir da próxima semana”, comunicou o executivo britânico.
As autoridades britânicas consideram que esta vacina, que oferece uma proteção de até 95 por cento contra a Covid-19, é segura e pode começar a ser administrada na próxima semana.

A imunização vai começar muito em breve para quem faz parte dos grupos prioritários, incluindo aqueles que vivem em lares, profissionais de saúde e idosos.

O Reino Unido garantiu ter encomendado 40 milhões de doses, que dará para vacinar 20 milhões de pessoas, uma vez que a vacina é dada em duas doses. Cerca de 10 milhões de doses deverão ficar disponíveis até ao final do ano e as primeiras 800 mil vão chegar ao Reino Unido já nos próximos dias.

Esta foi a vacina mais rápida alguma vez aprovada desde que começou a ser criada até à vacinação. Foram necessários apenas 10 meses, quando o processo leva geralmente uma década.

A vacinação poderá representar um regresso gradual a uma situação de normalidade no contexto de uma pandemia global que matou quase 1,5 milhão de pessoas em todo o mundo e deixou grandes mazelas na economia mundial.

No entanto, os peritos alertam que, ainda que a vacinação esteja a dias de começar, a população deve manter as regras até agora decretadas para evitar a propagação do novo coronavírus.

Tanto a Pfizer-BioNTech como a Moderna obtiveram acima de 90% de eficácia nas respetivas vacinas, ambas baseadas na nova tecnologia mRNA.

A Pfizer considerou que esta a autorização para o uso de emergência no Reino Unido marca um “momento histórico” na luta contra o Covid-19.

"Aplaudimos a MHRA pela capacidade de conduzir uma avaliação cuidadosa e tomar medidas oportunas para ajudar a proteger o povo do Reino Unido", disse o CEO, Albert Bourla.

Ainda que esta vacina tenha de ser mantida a temperaturas muito baixas (-70ºC), a Pfizer garante que pode ser armazenada até cinco dias a temperaturas mais elevadas, entre 2 e 8ºC.
pub