Grupo mata duas pessoas em aldeia remota do norte de Moçambique

por Lusa

Quatro indivíduos atacaram na noite de quinta-feira uma aldeia do norte de Moçambique onde mataram duas pessoas, queimaram 12 casas e roubaram bens alimentares, disse hoje à Lusa um residente local.

O ataque aconteceu pelas 22:00 na aldeia de Cobre, uma povoação dependente do posto administrativo de Quiterajo, no distrito de Macomia, província de Cabo Delgado.

Os agressores usaram catanas e armas de fogo e entraram na povoação sem que a população se apercebesse, misturando-se com a plateia de um salão de exibição de filmes.

Pouco depois saíram do local e começaram o ataque à aldeia, referiu a mesma fonte.

Uma das vítimas morreu com golpes de catana, enquanto outra foi abatida a tiro.

Povoações remotas da província de Cabo Delgado, situada entre 1.500 a 2.000 quilómetros a norte de Maputo, têm sido saqueadas com violência por desconhecidos desde outubro de 2017, provocando um número indeterminado de mortos, na ordem das dezenas, e um número ainda maior de deslocados.

Os grupos que têm atacado as aldeias nunca fizeram nenhuma reivindicação nem deram a conhecer as suas intenções, mas investigadores sugerem que a violência está ligada a redes de tráfico de heroína, marfim, rubis e madeira.

Os ataques acontecem numa altura em que avançam os investimentos de companhias petrolíferas em gás natural na região, mas sem que até agora tenham entrado no perímetro reservado aos empreendimentos.