Inundações no Afeganistão. Chuvas fortes causam destruição no oeste do país

por Inês Moreira Santos - RTP
EPA

As inundações repentinas no oeste do Afeganistão fizeram, pelo menos, 50 mortos e destruíram mais de duas mil casas. A informação foi confirmada pelas autoridades locais.

“Cinquenta habitantes da província de Ghor foram mortos pelas inundações de sexta-feira e vários outros estão desaparecidos”, disse o porta-voz da polícia da província, Abdul Rahman Badri.

Segundo a mesma fonte, as inundações destruíram cerca de duas mil habitações e danificaram milhares de outras.

“Estas terríveis inundações também mataram milhares de cabeças de gado, (...) destruíram centenas de hectares de terras agrícolas, centenas de pontes (...) e milhares de árvores”, afirmou, acrescentando que algumas estradas tinham ficado “completamente bloqueadas”.

As fortes chuvas sazonais no oeste do país estão na origem da destruição. Segundo as autoridades, o número de mortos foi avançado com base num relatório preliminar, mas pode ainda aumentar.

A província de Ghor foi das mais atingidas, registando de milhares de casas danificadas e centenas de hectares agricolas com prejuízos.

Recorde-se que já em abril, 70 pessoas tinham perdido a vida num fenómeno natural semelhante.

Outras províncias do norte do Afeganistão foram atingidas por inundações repentinas no final da semana passada e prevê-se que o mau tempo continue, advertiu a Organização Mundial de Saúde (OMS).

Pelo menos 300 pessoas morreram nas inundações, nomeadamente na província de Baghlan, de acordo com o Programa Alimentar Mundial e os responsáveis talibãs.


Estas chuvas ocorreram após um inverno anormalmente seco e vários anos de seca neste país, que é um dos mais expostos às alterações climáticas, segundo os peritos.


C/Lusa
Tópicos
pub