Noite de bombardeamentos. Rússia ataca Ucrânia com 21 drones e três mísseis

por Cristina Sambado - RTP
Valentyn Ogirenko - Reuters

A Rússia lançou 21 drones e três mísseis de cruzeiro contra a Ucrânia durante a noite de terça para quarta-feira. Todos os drones e dois dos mísseis foram destruídos antes de atingirem os seus alvos, revelou a Força Aérea ucraniana.

O terceiro míssil, que não foi destruído, falhou o alvo, acrescentou a Força Aérea sem entrar em mais pormenores. Os dois mísseis X59 foram abatidos sobre a região sul de Mykolaiv.

Os drones Shahed 136/131, de fabrico iraniano, dirigiam-se para a região ocidental de Khmelnytskyi. O alvo não foi identificado, mas a região é sede de uma importante base aérea, que a Rússia tentou atingir em diversas ocasiões desde o início da guerra a 24 de fevereiro de 2022.

Foram abatidos drones em Odessa, Mikolaiv, Kherson (sul), Zaporizhia (sudeste), Dnipropetrovsk (centro) e Kiev (norte).Esta quarta-feira, o Ministério da Defesa da Rússia revelou que as defesas aéreas do país repeliram um ataque com um drone na cidade de Podoldk, a cerca de 40 quilómetros de Moscovo.

Os drones foram lançados mais uma vez de Primorsko-Akhtarsk, sudoeste da Federação Russa e muito perto da península da Crimeia, no Mar Negro.

Segundo a Força Aérea ucraniana, foram usados aviões de combate, unidades antiaéreas e unidades móveis de defesa aérea nas regiões sul e central da Ucrânia.

As autoridades ucranianas acusam as forças russas de estarem a levar a cabo uma campanha de ataques sistemáticos às infraestruturas energéticas do país, à medida que o inverno se aproxima. No último inverno, os ataques russos contra as infraestruturas energéticas da Ucrânia deixaram milhões de pessoas sem eletricidade e aquecimento durante longos períodos.
Mau tempo atrasa ofensiva russa no leste da Ucrânia
Segundo as autoridades ucranianas, o mau tempo está a retardar a campanha russa para capturar a cidade de Avdiivka, no leste do país.

As tropas russas, apoiadas por ataques aéreos, têm tentado assumir o controlo de Avdiivka desde meados de outubro, como parte do seu lento avanço pelo leste da Ucrânia.

As autoridades ucranianas revelam que nem um único edifício permanece intacto na cidade - vista como uma porta de entrada para o centro regional de Donetsk, 20 quilómetros a leste.
Avdiivka, que tinha 32 mil habitantes antes do início da guerra, tem agora 1.500. Em 2004, a cidade tinha sido, por um curto período de tempo, tomada por separatistas financiados pela Rússia que capturaram algumas zonas do leste da Ucrânia.


"Começaram a bombardear o centro da cidade a partir de Donetsk. A nossa brigada está a aguentar-se, mas não vemos qualquer equipamento a chegar", disse Serhiy Tsekhotskyi, um oficial ucraniano na cidade, à televisão nacional.

Após dois dias de tempestades - e neve no sul - a previsão era de mais chuva no leste, deixando o terreno encharcado e impróprio para manobras militares.

"O tempo não é adequado. Mas quando as geadas chegarem e o solo endurecer, é possível uma tentativa de assalto com equipamento."
Tempestade provocou dez mortos na Ucrânia
A maioria das vítimas é da região de Odessa. Dezassete regiões na Ucrânia estão sem eletricidade.
Inundações e fortes tempestades de neve atingem também a Rússia. Moscovo está sem energia e aquecimento.

É já considerada a tempestade do século.
Tópicos
pub