Parlamento Europeu alvo de buscas em investigação a alegada ingerência russa

por RTP
Joana Raposo Santos - RTP

As instalações do Parlamento Europeu em Bruxelas e Estrasburgo foram esta quarta-feira alvo de buscas, no quadro de uma investigação sobre suspeitas de ingerência da Rússia em território belga.

As buscas incidem nos escritórios de um "colaborador" do Parlamento Europeu em Bruxelas e Estrasburgo, bem como na sua casa em Bruxelas.

“No âmbito de um processo do Ministério Público Federal lançado em abril de 2024, a Polícia Judiciária Federal de Bruxelas realizou, por ordem de um juiz de instrução do tribunal de língua holandesa de Bruxelas, buscas na casa de um colaborador do Parlamento Europeu em Schaerbeek, bem como no seu escritório do Parlamento Europeu em Bruxelas”, lê-se em comunicado do Ministério Público Federal.

“Simultaneamente, em estreita colaboração com a Eurojust e as autoridades judiciais francesas, foram também realizadas buscas a pedido do juiz de instrução belga no gabinete deste assistente no Parlamento Europeu, em Estrasburgo”, acrescenta.

As buscas visam o escritório de Marcel de Graaff, eurodeputado não inscrito do partido holandês Fórum pela Democracia, um partido nacionalista, conservador e eurocético.

No entanto, de acordo com a AFP, que cita uma fonte próxima da investigação, o alvo é Guillaume Pradoura, assistente parlamentar de Graaff.
Pradoura foi também assistente do eurodeputado alemão Maximilian Krah, do partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha (AfD).

“As buscas fazem parte de um caso de interferência, corrupção passiva e adesão a uma organização criminosa e estão relacionadas com indícios de interferência russa, através da qual membros do Parlamento Europeu foram abordados e pagos para promover a propaganda russa através do site de notícias Voz da Europa”, esclarece a nota do MP.“Há indícios de que o funcionário do Parlamento Europeu em questão desempenhou um papel importante neste caso”, acrescentou a mesma fonte.

As diligências das autoridades enquadram-se numa investigação judicial ao portal Voice of Europe. Esta plataforma, recorda a edição online do jornal belga Le Soir, fora já escrutinada em março, depois de os serviços secretos checos terem destapado uma rede alegadamente financiada por Moscovo para a difusão de propaganda pró-russa - o objetivo seria influenciar as eleições europeias de junho.

Membros do Parlamento Europeu foram alegadamente abordados e pagos para promover a propaganda russa através do site informativo Voice of Europe.

A investigação foi lançada pelo Ministério Público belga em abril, após a identificação de uma rede de influência financiada por Moscovo.
Tópicos
pub