Em direto
Euro2024. Acompanhe aqui, ao minuto, o encontro do Grupo B entre Itália e Albânia

Personalidades europeias lamentam morte de Jacques Delors

por RTP
Jacques Delors morreu aos 98 anos Reuters

Várias personalidades ligadas à política e à Europa manifestaram-se sobre a morte de Jacques Delors. Considerado o "pai do Euro" e um dos principais promotores da entrada de Portugal na Comunidade Económica Europeia, Jacques Delors morreu aos 98 anos.

Emmanuel Macron, presidente francês, lamentou a morte de um “homem de Estado” de grande proeminência na política francesa. Na rede social X, Macron destacou a luta pela Europa e pela justiça humana.


“O seu compromisso, os seus ideais e a sua retidão irão sempre inspirar-nos. Saúdo o seu trabalho e a sua memória e compartilho a dor dos seus entes queridos”, pode ler-se no perfil do presidente francês.

Nas instâncias europeias, Roberta Metsola falou sobre a morte de “um gigante”. Nas redes sociais, a presidente do Parlamento Europeu lembrou o trabalho para a criação de uma União Europeia forte e ressalva que o legado de Jacques Delors vai continuar a ser sentido no futuro.


“Gerações de europeus continuarão a beneficiar do seu legado”, concluiu Roberta Metsola.

Charles Michel também apresentou condolências pela morte de Jacques Delors. O presidente do Conselho Europeu lembrou que o economista transformou a CEE numa “verdadeira” união europeia que teve como base “valores humanistas e uma moeda única”.

“Um grande francês e um grande europeu, Delors fica para a história como um dos construtores da nossa Europa. Apresento as sinceras condolências à família”, escreveu Charles Michel nas redes sociais.


O alto representante da UE para os Negócios Estrangeiros lembrou um dos principais bastiões da União Europeia moderna cujo legado deve continuar a ser seguido no futuro.

“A Europa acaba de perder um dos seus gigantes. Terá moldado o destino da EU através das suas convicções e do rigor. Entra assim no panteão dos grandes que a Europa produziu e cujo legado devemos assumir”, declarou Josep Borrell.

Ursula von der Leyen também deixou palavras elogiosas a Jacques Delors nas redes sociais. A presidente da Comissão Europeia lembrou um “visionário” que moldou a vida de várias gerações europeias.


“O trabalho da sua vida é uma União Europeia unida, dinâmica e próspera. Honremos o seu legado renovando constantemente a nossa Europa”.

O antigo presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, também já reagiu à morte de Delors, numa nota enviada à Agência Lusa.

"Com a morte de Jacques Delors, antigo presidente da Comissão Europeia com quem tive a honra e o prazer de colaborar em tantas ocasiões, a Europa perdeu um dos seus mais extraordinários líderes. Alguém que combinava os 'pequenos passos' da integração europeia com o ideal de uma Europa unida", considerou Durão Barroso.

"A Comissão e a União Europeia devem imenso a Jacques Delors" que para o ex-primeiro-ministro português "ficará como um dos `refundadores` da integração europeia nos anos 80 e 90".
Tópicos
pub