Primeiro-ministro da Eslováquia ferido num tiroteio

por RTP
Um homem, que também apresenta ferimentos, foi detido na sequência do ataque. Radovan Stoklasa - Reuters

O primeiro-ministro da Eslováquia, Robert Fico, foi atingido no abdómen num tiroteio em Handlova, a cerca de 150 quilómetros da capital, e foi levado para o hospital. Segundo o Governo eslovaco, tratou-se de uma tentativa de assassinato e o PM está "entre a vida e a morte".

"Ocorreu hoje uma tentativa de assassinato contra o primeiro-ministro Robert Fico à margem de uma reunião do Governo em Handlova", avançou o gabinete do responsável em comunicado.

"A polícia deteve o agressor e fornecerá mais informações assim que possível", declarou entretanto a presidente da Eslováquia, Zuzana Caputova, em comunicado, descrevendo o ataque ao primeiro-ministro como "um ataque à democracia".

O funcionamento do Parlamento está suspenso até ordem em contrário.

O tiroteio teve lugar em frente à Casa da Cultura local, onde o primeiro-ministro, de 59 anos, se encontrava com os seus apoiantes. A polícia isolou o local.

Um repórter do jornal diário Dennik N Daily ouviu tiros e depois viu os socorristas a transportar o primeiro-ministro para um carro.

De seguida, foi transportado de helicóptero até à cidade de Banska Bystrica para receber tratamento urgente.

Robert Fico tornou-se primeiro-ministro pela quarta vez no ano passado, depois de algumas mudanças nas suas prioridades para responder a um eleitoriado mais desafiante. Na sua carreira de três décadas, circulou entre posições pró-europeístas e nacionalistas.

Após o tiroteio desta quarta-feira, o maior partido da oposição cancelou um protesto contra as reformas da estação pública da Eslováquia decididas pelo Governo de Fico.

O episódio está a suscitar várias reações internacionais de condenação. O primeiro-ministro português foi um dos que se pronunciou, deixando no Parlamento "uma nota de profunda e veemente preocupação por este ato hostil aos valores da democracia e do exercício de funções políticas".


"Condeno fortemente o vil ataque contra o primeiro-ministro Robert Fico. Tais atos de violência não têm lugar na nossa sociedade e prejudicam a nossa democracia, que é o nosso maior bem comum", escreveu na rede social X a presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.


O presidente da Hungria, país vizinho da Eslováquia, disse por sua vez estar "profundamente chocado com o hediondo ataque" contra o seu "amigo". "Rezamos pela sua saúde e rápida recuperação! Deus o abençoe a si e ao seu país", escreveu no X.

O primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, disse também estar "chocado com esta notícia horrível".

Marine Le Pen, líder da extrema-direita francesa, condenou "fortemente" a "tentativa de assassinato que ataca a nossa democracia", enquanto o PM espanhol Pedro Sánchez se declarou "horrorizado e indignado com o ataque".
Tópicos
pub