Reino Unido e Finlândia juntos contra o risco de "agressão russa"

por Lusa
O Reino Unido está ao lado da Finlândia contra a Rússia Tolga Akmen - EPA

O Reino Unido e a Finlândia vão estabelecer esta segunda-feira uma parceria estratégica para reforçar os laços diplomáticos e enfrentar a "ameaça de agressão russa" na Europa, anunciou o Ministério dos Negócios Estrangeiros britânico.

O acordo, que prevê uma cooperação reforçada para combater a desinformação e os ataques cibernéticos russos, e para participar na reconstrução da Ucrânia, será ratificado pelo chefe da diplomacia britânica, David Cameron, e pela homóloga finlandesa, Elina Valtonen, em Londres.

Os dois países irão declarar que a Rússia, que partilha uma fronteira de 1.300 quilómetros com a Finlândia, constitui "a ameaça mais significativa e direta à paz e estabilidade europeias", disse o ministério.

Londres e Helsínquia querem "trabalhar em conjunto nos desafios à segurança global e apoiar a Ucrânia até que a guerra seja vencida", acrescentou a diplomacia britânica, num comunicado.

Nos últimos meses, os dois países assinaram acordos de segurança com a Ucrânia, nos quais se comprometeram a continuar a fornecer a Kiev apoio militar e financeiro a longo prazo.

No caso da Finlândia, o acordo foi assinado a 3 de abril entre o presidente finlandês, Alexander Stubb, e o seu homólogo ucraniano Volodymir Zelenski.

"Ao nos unirmos para apoiar a Ucrânia, inclusive fornecendo ajuda e treino militar, queremos deixar claro que a ameaça de agressão russa, depois da guerra que desencadeou, não será tolerada", declarou o ministro David Cameron.

"Esta parceria estratégica, baseada nos nossos valores partilhados, fará com que o Reino Unido e a Finlândia intensifiquem a sua cooperação para reforçar a segurança europeia e aproveitar novas oportunidades", colaborando em áreas como a ciência, tecnologia, energia e a luta contra a imigração ilegal, acrescentou Cameron.

Em 3 de maio, piratas informáticos russos que se apresentam como "NoName057" atacaram vários portais de instituições finlandesas em represália pelo apoio à Ucrânia na guerra contra a Rússia, anunciou o grupo no seu canal de mensagens Telegram.

Os ataques informáticos visaram as páginas de internet do governo finlandês, da Câmara de Comércio, do Instituto de Arbitragem e do banco de imagens do Ministério da Defesa, de acordo com a lista divulgada pelo grupo de piratas.

 

Tópicos
pub