Rússia inicia exercícios com armas nucleares táticas perto da fronteira com a Ucrânia

por Andreia Martins - RTP
Ministério russo da Defesa via Reuters

O exército russo anunciou esta terça-feira que iniciou os exercícios militares com armas nucleares táticas perto da Ucrânia anunciados pelo presidente russo, Vladimir Putin no início do mês.

"A primeira fase de exercícios (...) com a preparação e utilização de armas nucleares não estratégicas já começou", adiantou o Ministério russo da Defesa em comunicado. No comunicado lê-se ainda que estas manobras militares decorrem no Distrito Militar do Sul, junto à fronteira com a Ucrânia, mas também abrangem regiões ucranianas anexadas por Moscovo em 2022.

O Ministério russo da Defesa acrescenta que a primeira fase do exercício envolve mísseis Iskander e Kinzhal.

Acrescenta ainda que o objetivo destes exercícios é garantir que as unidades e equipamentos estão em prontidão para "responder e garantir de forma incondicional a integridade territorial e a soberania do Estado russo, em resposta a declarações provocatórias e ameaças de autoridades ocidentais individuais contra a Rússia".

O presidente russo tinha anunciado, no início do mês, a realização de exercícios com armas nucleares estratégicas em resposta ao que designou como "declarações militantes" de responsáveis de países ocidentais.

Em concreto, os responsáveis russos lembraram as declarações do presidente francês, Emmanuel Macron, quando este admitiu a possibilidade do envio de tropas ocidentais para combater a Rússia na Ucrânia, mas também o que foi dito pelo ministro britânico dos Negócios Estrangeiros, David Cameron, quando afirmou que Kiev poderia usar armas fornecidas pelo Reino Unido para atacar alvos em território russo.

No entanto, desde o início do conflito na Ucrânia, em fevereiro de 2022, que o presidente russo tem acenado com o eventual uso de armas nucleares táticas. No verão de 2023, Moscovo implantou armas nucleares táticas em território bielorrusso.
pub