Trump quer "fim imediato" da investigação a alegada ingerência russa

por RTP
Trump aumentou nos últimos dias as investidas contra Mueller Rod Millington - EPA

O Presidente norte-americano pediu mais uma vez o “fim imediato” das investigações à alegada interferência russa nas eleições presidenciais de 2016. O pedido destinado ao procurador-geral, Jeff Sessions, foi feito novamente em forma de tweet. Donald Trump argumenta que as investigações judiciais estão a prejudicar o país.

“Esta é uma situação terrível e o procurador-geral Jeff Sessions devia parar esta Caça Às Bruxas Armadilhada de imediato, antes de continuar a manchar ainda mais o nosso país. Bob Mueller está totalmente em conflito e os seus 17 democratas zangados que fazem o seu trabalho sujo são uma vergonha para os Estados Unidos”, escreveu.


O Departamento de Justiça recusou comentar o tweet do Presidente norte-americano.

Segundo a CNN, este tweet levanta novas questões sobre a interferência de Trump no poder judicial. Esta não é a primeira vez que o Presidente norte-americano protesta contra as investigações.

O procurador especial Robert Mueller, militante republicano, foi nomeado diretor do FBI pelo anterior Presidente republicano George W. Bush.
"Declarações negativas"

Ainda de acordo com a CNN, o tweet desta quarta-feira pode ser analisado pela equipa do procurador especial constituída para apurar se houve interferência russa nas eleições presidenciais norte-americanas de 2016.

Além dos tweets, a equipa de Mueller está a analisar as “declarações negativas” de Trump dirigidas ao antigo diretor do FBI James Comey, despedido no ano passado.

Trump aumentou nos últimos dias as investidas contra Mueller. O mais recente tweet coincide com o dia da segunda sessão do julgamento do antigo diretor da campanha republicana, Paul Manafort, por fraude bancária e evasão fiscal alegadamente praticadas antes de trabalhar para Donald Trump.
Tópicos