Ucrânia abate 18 drones e um míssil em novos ataques noturnos da Rússia

por Cristina Sambado - RTP
Anna Voitenko - Reuters

As defesas aéreas ucranianas revelaram ter abatido um míssil e 18 dos 23 drones lançados pela Rússia na noite de domingo para segunda-feira. Moscovo avança que as forças ucranianas atingiram um depósito de petróleo em Lugansk também com recurso a meios aéreos não tripulados.

"Foram abatidos 18 drones de ataque e um míssil Kh-59", declarou a Força Aérea ucraniana num comunicado matinal. As regiões meridionais de Kherson e Mykolaïv foram visadas, bem como Ivanov-Frankivsk, Khmelnytski e Lviv (oeste), revelou o exército.

Segundo o exército ucraniano, os drones conseguiram atingir os distritos de Kherson e Beryslav (sul), nas margens do rio Dnieper, danificando um centro cultural e uma loja. A Força Aérea ucraniana não forneceu detalhes sobre o que aconteceu com os cinco drones que não foram destruídos.

Em Lugansk, uma zona controlada pela Rússia, deflagrou um incêndio, que foi rapidamente extinto, depois das forças ucranianas terem atacado com drones um depósito de petróleo, segundo a agência RIA Novosti.

No domingo, Volodymyr Zelensky relatou "combates intensos" em dezenas de locais da linha da frente, sendo os mais graves nas cidades orientais de Maryinka, Avdiivka e Bakhmut, mas também relatou combates pesados na região de Kharkiv e no sul.

Segundo o presidente ucraniano, os bombardeamentos "brutais" caíram sobre "edifícios, ruas e hospitais" em Kherson. Zelensky apresentou condolências às famílias dos mortos, referindo que só na região se registaram 20 bombardeamentos num dia.Segundo o Centro de Estratégias de Defesa de Kiev, o exército russo reduziu a frequência dos bombardeamentos na zona devido às pesadas perdas de equipamento militar.

As forças ucranianas repeliram no domingo mais de 60 ataques russos ao longo de toda a linha de frente, concentrados principalmente nos teatros de operações do leste, informou hoje o Estado-Maior de Kiev no balanço diário de guerra.

A zona de maior conflito foi novamente o eixo de Avdivka, na província oriental de Donetsk, onde as tropas de Kiev que defendiam a cidade repeliram 21 ataques inimigos. A Rússia ainda está a tentar completar o cerco à cidade, apesar de ter sofrido um grande número de baixas, acrescentaram.

A Rússia lança ataques com drones e mísseis contra a Ucrânia quase todas as noites. Kiev acusa o Kremlin de querer aterrorizar a população civil e destruir as suas infraestruturas energéticas para, como fez no inverno passado, mergulhar a população na escuridão e no frio.

c/ agências
Tópicos
pub