45 anos de poder local: As políticas locais de alimentação e a sustentabilidade ambiental

por Antena1

Foto: António Jorge

Aos municípios começam a ser reconhecidas responsabilidades em várias áreas relacionadas com a sustentabilidade ambiental. As políticas locais de alimentação dizem respeito à qualidade de vida, à saúde, à educação, à soberania alimentar, mas também à sustentabilidade ambiental e à pegada ecológica. É o tema de hoje da parceria Antena 1 / Universidade de Aveiro que avalia os desafios do poder local para os próximos 5 anos.

Vamos até Guimarães conhecer o projeto das hortas pedagógicas que começou em 2008. Hoje em dia já mais que duplicou a dimensão original. O projeto das hortas no perímetro urbano da cidade mantém os objetivos iniciais: contribuir para encolher a chamada pegada alimentar, incentivar a vida ao ar livre e a prática da agricultura. Atualmente, os produtos ali produzidos, além de estarem presentes na alimentação de quem os cultiva, são também distribuídos por instituições de solidariedade social do concelho. Em Guimarães há décadas que a Veiga de Creixomil dá de comer a centenas de famílias. A reportagem do jornalista António Jorge começa pelo antigo convento de Santa Clara e pela frescura da água.

Sara Moreno Pires é professora Auxiliar de Políticas Públicas no Departamento de Ciências Sociais, Políticas e do Território da Universidade de Aveiro. Na sua opinião este é um tema a que o poder local ainda dá pouca atenção. É preciso colocar os sistemas de alimentação no centro das políticas públicas.

A professora, com foco nas políticas locais de desenvolvimento sustentável, considera que as hortas pedagógicas e comunitárias são uma boa aposta, têm sido das mais promovidas pelas autarquias, mas é preciso fazer muito mais. Só 40 municípios em todo o país, por exemplo, é que têm nutricionistas. Portugal ainda está muito longe da média europeia nesta matéria.

Esta investigadora diz que a pandemia veio alertar-nos para a necessidade de nos relacionarmos melhor com a natureza. E afirma, com convicção, que em termos de alimentação ambientalmente sustentável, têm sido dados passos importantes a nível nacional, mais nuns municípios do que noutros, mas é preciso contagiar os restantes atores políticos. A entrevista é conduzida pela jornalista Cláudia Costa.
pub