Em direto
Conselho de Ministros. Governo apresenta plano para a Saúde

AIMA manda mensagem a imigrantes. "Ou pagam adiantado ou processo é anulado"

por Antena 1

Foto: Inês Martins - Antena 1

Os imigrantes que têm processos pendentes na Agência para a Integração Migrações e Asilo estão a receber mensagens por correio eletrónico com uma alteração das regras de acesso à AIMA. A denúncia partiu de um dos imigrantes à Antena 1, que guardou anonimato, para se salvaguardar.

Um e-mail, a que a Antena 1 teve acesso, refere que a partir de agora passa a ser obrigatório o pagamento das taxas, antes da ida aos balcões da agência. E valor disparou de cerca de 90 euros para quase 400.

Contactada pela Antena 1, a AIMA confirma esta alteração de procedimentos, que diz ter sido feita para acelerar a resposta às solicitações.

No entanto, há quem considere que o objectivo da Agência para a Integração Migrações e Asilo é anular parte dos cerca de 400 mil processos que estão pendentes, disse à Antena 1 um imigrante argentino, que preferiu manter o anonimato, por receio de represálias.

Em resposta à Antena 1, o gabinete do Secretário de Estado Adjunto da Presidência diz que o Governo não tem conhecimento da alteração das taxas e adianta que pediu esclarecimentos aos responsáveis da Agência para a Integração Migrações e Asilo.

De acordo com a AIMA os imigrantes têm agora dez dias para fazer o pagamento, caso contrário, o pedido é automaticamente anulado.

Ouvido pela jornalista Rosa Azevedo, o presidente da Associação Solidariedade Imigrante de Beja diz que este prazo de dez dias é muito curto.

Alberto Matos afirma muitos vão ver os processos anulados por não conseguirem pagar em tão pouco tempo.
Desde que começaram a ser enviados os e-mails, são muitos os imigrantes que ligam para a associação. Alguns com medo de estarem a ser vitimas de uma burla informática.

Já o sindicato dos Trabalhadores da AIMA encara com bons olhos, esta alteração nos procedimentos.

O Sindicato acredita que o pagamento antecipado das taxas pode ajudar a resolver os processos pendentes, porque alguns imigrantes já nem vivem em Portugal, e os pedidos mantêm-se activos, nos serviços da Agência para a Integração Migrações e Asilo.



pub