Associação Animal manifesta apoio a ministra da Cultura após polémica sobre tauromaquia

| País

A associação Animal manifestou hoje apoio à ministra da Cultura, Graça Fonseca, que rejeitou a descida do IVA nos espetáculos tauromáquicos por "uma questão de civilização", lamentando ainda o "linchamento" que a governante "está a sofrer".

"O linchamento que a ministra [da Cultura] está a sofrer por parte de vários grupos de aficionados das touradas, onde se incluem algumas figuras públicas, como é o caso do poeta Manuel Alegre, é aviltante", refere a Animal em comunicado hoje divulgado.

Por essa razão, a associação "solidariza-se com a senhora ministra, e, na verdade, agradece a sua coragem", indica a presidente da Animal, Rita Silva, na nota.

"Nos últimos anos, a pasta da Cultura esteve entregue a aficionados, cuja paixão pessoal por tal bárbara atividade levou à falta de avanço nesta questão", observa a dirigente.

Rita Silva assinala que "Manuel Alegre chegou ao extremo de dizer que [...] `é este tipo de intolerâncias que cria Bolsonaros`", numa alusão ao recém-eleito Presidente do Brasil, de extrema-direita.

"Ora, este tipo de afirmação, além de descabida, é grave [já que] aquilo que cria Bolsonaros é a apologia e a normalização da violência. A tauromaquia não passa de um exercício de violência que já deveria ter acabado há muito", vinca a responsável.

Na nota, a Animal aponta ainda o apoio que "muitas organizações nacionais e internacionais" têm dado à ministra, nomeadamente através das redes sociais e de e-mails a si endereçados.

"Largas centenas de e-mails já chegaram à ministra e muitos mais continuarão a chegar", adianta.

Falando no parlamento na terça-feira, Graça Fonseca admitiu discutir em sede de especialidade do Orçamento do Estado para 2019 (OE2019) um eventual alargamento dos espetáculos abrangidos pela redução do IVA de 13% para 6%, mas excluiu a tauromaquia por ser "uma questão de civilização".

A afirmação surgiu na sequência de críticas lançadas pela deputada do CDS-PP Vânia Dias da Silva, por a descida do IVA excluir a tauromaquia, acusando assim o Governo de "discriminação" e de imposição de uma "ditadura do gosto".

Face a isto, Graça Fonseca reagiu dizendo: "Senhora deputada [do CDS-PP] a tauromaquia não é uma questão de gosto, é uma questão de civilização e manteremos como está".

Entretanto, em reação a estas palavras, a Prótoiro - Federação Portuguesa de Tauromaquia exigiu hoje a "imediata" demissão de Graça Fonseca, argumentando que a sua primeira intervenção pública sobre tauromaquia, na Assembleia da República, foi um "insulto" aos aficionados.

A Prótoiro voltou depois a insistir no assunto através de uma petição, que, hoje pelas 12:00, contava com quase 5.700 assinaturas.

Também na sequência desta posição de Graça Fonseca, a Câmara de Alcochete, no distrito de Setúbal, aprovou uma moção de protesto contra a exclusão da tauromaquia de um eventual alargamento dos espetáculos abrangidos pela redução do IVA de 13% para 6%.

Tópicos:

Animal Rita, Graça Fonseca Câa, IVA,

A informação mais vista

+ Em Foco

O criador dos óculos de realidade virtual está a desenvolver tecnologia que vai transferir jogos de vídeo para os campos de batalha.

Reunimos aqui reportagens sobre as forças de elite portuguesas, emitidas por ocasião dos 100 anos do Armistício que pôs fim à I Guerra Mundial.

    O coração de Lisboa foi palco do maior desfile militar dos últimos 100 anos no país, por ocasião do centenário do Armistício que pôs fim à I Grande Guerra.

      Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.