Coronavírus. Descartada infeção no 11.º caso suspeito em Portugal

por RTP
Procedimentos de desinfeção de material médico em Wuhan, na província chinesa de Hubei, epicentro do Covid-19 China Daily/ Reuters

A Direção-Geral da Saúde anunciou na tarde desta segunda-feira que a mulher transferida de Gondomar para o Hospital de São João, no Porto, "não configura um caso suspeito de infeção por novo coronavírus". As autoridades sanitárias não chegaram a proceder a qualquer análise laboratorial.

A informação foi veiculada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), descartando até este momento a existência de qualquer caso de infeção por COVID-19 em Portugal, com a particularidade de nesta 11ª suapeita não ter sido necessária a realização de qualquer análise.

“Depois de investigada a história clínica e epidemiológica na presença da cidadã que foi encaminhada para o Centro Hospitalar Universitário de São João, concluiu-se que o caso não configura um caso suspeito de infeção por novo coronavírus (covid-19)”, refere a DGS em comunicado.

Nesse sentido, não se procedeu à realização de análises laboratoriais pelo Instituto Ricardo Jorge (INSA).

O 11.º caso de possível infeção por coronavírus foi confirmado pela DGS ao início da tarde: tratava-se de uma jovem sul-coreana chegada há três dias a Gondomar e que foi, como obrigam os protocolos, transferida para o São João, no Porto.

Até ao momento todos os casos suspeitos em Portugal deram negativo e “não está internado nenhum caso suspeito de infeção por novo coronavírus”, aponta ainda o comunicado.
Três casos supeitos em menos de 24 horas

Ainda durante a manhã foram revelados pela DGS os resultados negativos nas análises a outros dois casos (chamados 9.º e 10.º casos). Tinham sido encaminhados para o Centro Hospitalar Universitário de São João, no Porto, e Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, também de acordo com o protocolo dos hospitais de referência para estas situações.

O décimo caso suspeito referia-se a uma criança regressada da China que foi encaminhada para o Hospital Dona Estefânia.
“A criança ficou internada, tendo já sido realizada a colheita de amostras biológicas para análise pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge”, esclareceu a DGS.

Oito casos suspeitos já haviam dado resultado negativo nos testes, o oitavo ainda durante a noite deste domingo. O nono caso, cujas análises viajaram do norte, apenas foi descartado esta manhã.

A ministra da Saúde explicou que o caso da criança foi validado no domingo e que as análises teriam lugar em conjunto com as do nono caso suspeito, do adulto internado no São João.

“A opção pela realização conjunta das análises prendeu-se unicamente com a rentabilização de meios, ou seja, houve uma análise que foi feita ainda ontem à noite, que tivemos o resultado e que partilhámos [o oitavo caso suspeito], e agora há duas análises cujos resultados se aguardam”, justificou a ministra Marta Temido.
Dois casos caíram com a noite de domingo
Ontem foram assinalados dois casos suspeitos pela DGS, um em Gondomar, no norte do país, e outro na região de Lisboa. Ambas as situações seriam remetidas aos hospitais de referência para a epidemia de COVID-19 mais próximos: São João (Porto) e Curry Cabral (Lisboa).

O segundo caso, face à proximidade do Instituto Ricardo Jorge, onde são realizadas as análises de despistagem, foi o primeiro a ser descartado, ainda durante a noite de domingo.

Em ambas as situações estávamos perante dois pacientes – uma mulher e um homem – acabados de regressar da China.Números globais
Nas últimas horas, as autoridades chinesas atualizaram o número de mortos que são agora 1775, a grande maioria na provincia de Hubei onde se situa a cidade de Wuhan, região onde foi descoberto o novo vírus da pneumonia

O número de pessoas infetadas aumentou para 71.334, dados referentes às 6h00 desta segunda-feira, em Lisboa.
As autoridades chinesas isolaram várias cidades da província de Hubei, no centro do país, para tentar controlar a epidemia, medida que abrange cerca de 60 milhões de pessoas.

Segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), há 44 casos confirmados na União Europeia e no Reino Unido.
Tópicos
pub