Faltam bens de primeira necessidade em 27% dos lares portugueses

por Rita Marrafa de Carvalho/Cristina Gomes

Um estudo avalia o impacto da crise em Portugal e conclui que os portugueses têm mais consciência quando compram, que tentam optimizar o que já têm. Há mais racionalidade, mais produtos ferecos porque se tomam mais refeições em casa. Toda a família está envolvida no controlo de custos. Mas faltam bens de primeira necessidade.