"Ministro está a proteger os dele", acusa Sindicato dos Enfermeiros

por RTP

José Azevedo, do Sindicato dos Enfermeiros, anunciou uma paralisação para dia 16 de outubro, caso até sexta-feira o Governo não ceda às reivindicações da classe.

Uma delas é o aumento dos enfermeiros em 400 euros, que deverá ser superior para os enfermeiros especialistas e que os sindicatos propõem seja faseado.

O ministro da Saúde reagiu, dizendo que o aumento exigido é "absolutamente incomportável", mas José Azevedo discorda.

Diz o ministro que "este aumento que os enfermeiros estão a pedir é exagerado. Não é", afirma.

o sindicalista acusa Adalberto Campos Fernandes de "proteger os colegas", referindo ainda que "o dinheiro que estava reservado para os enfermeiros vai para os consultores, vai para os assistentes seniores, etc. etc.".

Só não há dinheiro "se o usarem para outros fins, que não estavam previstos, porque temos informações seguras", afirmou José Azevedo sem referir as fontes, "de que havia dinheiro para actualizar os vencimentos, em setembro deste ano".

"É evidente que, se o dinheiro foi desviado para outras coisa, o bolo não cresce", ironiza o sindicalista.

"Estamos parados desde 2005 e estamos a pedir a reposição, de que tanto fala o senhor primeiro-ministro".