Monchique: Incêndio está dominado mas "não podemos cruzar os braços"

| País
Monchique: Incêndio está dominado mas não podemos cruzar os braços

A ver: Monchique: Incêndio está dominado mas "não podemos cruzar os braços"

Patrícia Gaspar, 2ª comandante da Autoridade Nacional de Proteção Civil, revelou no briefing desta manhã, que o incêndio de Monchique provocou 41 feridos, 22 dos quais são bombeiros. 49 pessoas estão neste momento deslocadas.

“Apesar de darmos o incêndio como dominado, não é o momento de cruzar os braços. Temos um vasto perímetro, uma vasta área afetada e temos que manter toda a energia e toda a dedicação para que, nas próximas horas, e talvez nos próximos dias, consigamos manter a consolidação de todo este perímetro. Podendo responder às reativações que surjam”, acrescentou.

"Não existe neste momento um risco significativo de o incêndio sair da área afetada", frisou, salientando, contudo, que é "natural" que, nos próximos dias, alguns pontos quentes originem reativações, o que não significa "que o incêndio possa reativar".

Segundo Patrícia Gaspar o dia de hoje “revela-se mais uma vez em termos meteorológicos adverso”, com um aumento da temperatura.

“Continuamos com risco de incêndio, e portanto, todo o cuidado é pouco. Vamos manter toda a atenção. Todo o dispositivo no terreno para poder responder a qualquer situação que se venha a revelar necessária”.

A informação mais vista

+ Em Foco

Raptos e assassínios de opositores em países estrangeiros, levados a cabo pelos serviços secretos, têm um longo historial.

Logo após a recuperação das armas roubadas, o ex-chefe do Estado-Maior do Exército proibiu a PJ de entrar na base de Santa Margarida.

    Toda a informação sobre a União Europeia é agora agregada em novos conteúdos de serviço público que podem ser seguidos na página RTP Europa.

      Um terramoto de magnitude 7,5 e um tsunami varreram a ilha de Celebes, causando a morte de pelo menos duas mil pessoas. A dimensão da catástrofe é detalhada nesta infografia.