Regiões de Lisboa, Setúbal, Beira Interior, Alentejo e Algarve com pólen elevado

por Lusa

As regiões de Lisboa e de Setúbal vão ter a partir de sexta-feira uma semana de elevada concentração de pólen na atmosfera, assim como na Beira Interior, Alentejo e Algarve, informou hoje a Sociedade Portuguesa de Alergologia.

De acordo com a previsão hoje divulgada pela Sociedade Portuguesa de Alergologia e Imunologia Clínica (SPAIC), o resto do país estará, entre 17 e 23 de maio, numa situação baixa a moderada de pólenes na atmosfera.

Ao contrário de Lisboa, Setúbal, Beira Interior, Alentejo e Algarve, nas regiões de Trás-Os-Montes, Alto Douro, Entre Douro, Minho e Beira Litoral, a concentração polínica deverá manter-se baixa a moderada durante o fim de semana, pelo efeito de "lavagem da atmosfera", causado pela precipitação, que está prevista ocorrer nestas regiões.

A SPAIC acrescenta que a concentração polínica irá voltar a subir ao longo da semana, com a melhoria das condições meteorológicas, recomendando à população para que esteja atenta à previsão de meteorologia, para complementar a polínica.

Na atmosfera do continente, destacam-se os grãos de pólen provenientes das árvores oliveira, pinheiro, sobreiro e carvalhos e das ervas gramíneas, tanchagem, urtiga, azeda e urticáceas (inclui a parietária).

Particularmente, nas regiões do Algarve, Alentejo, Lisboa e Setúbal e também no Arquipélago da Madeira, observa-se a polinização do quenopódio. Enquanto, nas regiões do Norte e do Centro do país, ocorre a polinização da bétula.

Nas regiões autónomas da Madeira e dos Açores, a concentração polínica na atmosfera é baixa, sendo o pólen maioritariamente proveniente das árvores pinheiro e cipreste (e/ou criptoméria nos Açores) e das ervas urticáceas (inclui a parietária), urtiga, tanchagem e gramíneas.

 

 

Tópicos
pub