Sindicato avisa que falta de funcionários judiciais prejudica procuradores

por Antena 1

Foto: Pedro Pina - RTP

O Sindicato dos Magistrados do Ministério Público alerta que a falta de funcionários judiciais está a ter um impacto profundo no trabalho dos procuradores. Um aviso no dia em que começa o congresso destes profissionais.

O dirigente sindical Adão Carvalho diz que o próximo Governo tem mesmo de tomar medidas para resolver o problema. As falhas sentem-se também ao nível do número de procuradores.

Adão Carvalho sublinha que o desgaste é grande devido ao elevado volume de trabalho.
O Sindicato lembra que, há dois anos, o Conselho Superior do Ministério Público já pedia a entrada urgente de cerca de 200 procuradores.

A sobrecarga profissional é um dos temas analisados no estudo sobre condições de trabalho, desgaste e bem-estar dos magistrados, que vai ser apresentado logo à tarde, na sessão de abertura do congresso, em Ponta Delgada.

A procuradora-geral da República junta-se ao encontro. Uma oportunidade, diz o dirigente sindical Adão Carvalho, para Lucília Gago apoiar os procuradores.
Questionado sobre se a procuradora-geral poderá aproveitar o momento para explicar, de viva voz, alguns dos processos judiciais que têm marcado a actualidade, como é o caso da operação que investiga suspeitas de corrupção na Madeira, Adão Carvalho não está certo que o congresso seja o local indicado para esse efeito.

No que à operação Influencer diz respeito, o dirigente sindical admite que cerca de quatro meses depois, já seria desejável haver mais informações. Mas, se não as há, é porque não é possível.
O 13.º congresso dos procuradores prolonga-se até sábado, com a sessão de abertura prevista para as 17h00 desta quinta-feira.
pub