Em direto
Euro2024. Acompanhe aqui, ao minuto, o encontro do Grupo D entre Polónia e Países Baixos

Vila Real. Perspetivas "muito positivas" de dominar o incêndio durante a noite

por RTP

A frente que lavrava na serra do Alvão foi "debelada" pelas 19h00, revelou Miguel Fonseca, comandante distrital de operações de socorro (CODIS) de Vila Real.

Miguel Fonseca acrescentou que as perspetivas de dominar as três frentes que lavram em Vila real "são muito positivas" apesar de não haver meios aéreos. "Os que temos disponíveis para a noite consideramos serem os necessários", referiu.

Sete aeronaves em Vila Real combateram as chamas ao longo de todo o dia, incluindo dois Canadair gregos.

São esperados reacendimentos nos próximos dias.

O incêndio, que deflagrou domingo na Samardã, Vila Real, poderá assim ser dado como dominado na "próxima hora" mantendo-se no terreno "um forte dispositivo" em operações de rescaldo e de vigilância, disse o comandante distrital da Proteção Civil.

"Das três frentes que tivemos ativas durante o dia temos já duas delas completamente dominadas, sendo que falta uma pequena frente que está neste momento a ceder aos meios operacionais e, por essa forma, queremos acreditar que daqui a muito pouco tempo poderemos ter essa frente também dominada dando, por fim, o incêndio como dominado", afirmou Miguel Fonseca.

O CODIS prevê que o fogo poderá estar dominado na "próxima hora" e disse que "tudo está a ser feito para manter os operacionais quer em ações de consolidação, quer em ações de vigilância, não só durante esta noite, como nos próximos dias".

As preocupações, apontou, são as dimensão do fogo e as condições meteorológicas, designadamente o vento forte.

"Neste momento estamos a contar que durante a noite haja efetivamente uma alteração das condições do vento, temos uma oportunidade no que toca à temperatura, mas no que toca ao vento estamos a contar que nos traga algumas preocupações", referiu.

Miguel Fonseca reforçou que, nos próximos dias, manter-se-á em Vila Real um "forte dispositivo para garantir que as ações de vigilância e, principalmente, as de consolidação se desenvolvam da forma mais competente possível para que não ocorram reativações que ponham em risco as populações".

O alerta para este incêndio foi dado pelas 07.00 de domingo na serra do Alvão, na zona da Samardã, e devido ao vento forte e inconstante espalhou-se em três frentes.

O presidente da Câmara de Vila Real, Rui Santos, apontou para uma área ardida, de acordo com dados ainda provisórios, na ordem dos 4.500 hectares essencialmente de mato e algum pinhal.

Segundo o `site` da Autoridade Nacional de Emergência e Proteção (ANEPC), pelas 20:30, estavam mobilizados para o local 443 operacionais e 129 viaturas. Durante o dia chegaram a estar neste teatro de operações nove meios aéreos.

No distrito de Vila Real, há um outro incêndio que está a queimar uma área de pinhal no concelho de Mesão Frio. O alerta para este fogo foi dado às 15:02 de domingo e o combate mobiliza 63 operacionais e 17 viaturas.
pub