António Costa elogia PCP e menoriza BE

| Política

|

Em entrevista ao "Expresso", António Costa define o Partido Comunista como um "partido de massas" e o Bloco de Esquerda como um partido dos media.

Independentemente do que seja o resultado eleitoral, o primeiro-ministro considera que a solução política do governo cessante teve virtualidades e, globalmente, um balanço positivo.
Por outro lado, António Costa afirma que "um PS fraco e um Bloco de Esquerda forte" torna a governação difícil e considera por isso fundamental um reforço claro do PS.

Segundo o primeiro-ministro, os espanhois olham para Portugal como um modelo e os portugueses devem olhar para Espanha como imagem dos riscos a evitar: um "Podemos" bastante forte para condicionar o PSOE. António Costa dá, por isso, o exemplo de Espanha para explicar a ingovernabilidade.

Nesta entrevista, o primeiro-ministro elogia também a "maturidade institucional muito grande" do PCP, lembrando que se trata de um partido que já esteve no Governo e tem grande experiência de gestão autárquica.

Lançando uma farpa ao BE, afirma que o PCP não vive na angústia de ser tema de um noticiário de televisão e conclui citando, em tom de aprovação, um amigo que diz ser o PCP um partido de massas e o BE um partido de mass media.

A informação mais vista

+ Em Foco

A RTP ouviu os seis lideres partidários sobre temas que escapam aos programas políticos e que contribuem para definir o perfil dos candidatos.

    Uma sondagem da Universidade Católica aponta para o fim da hegemonia laranja na Madeira, apesar da vitória do PSD nas regionais (38%) do próximo domingo.

    Na semana em que se assinala o início da II Guerra Mundial, a RTP conta histórias de portugueses envolvidos diretamente no conflito.

      Em cada uma destas reportagens ficaremos a conhecer as histórias de pessoas ou de projectos que, por alguma razão, inspiram ou surpreendem.